12 outubro 2014

Resenha: Delírio - Lauren Oliver

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580571646
Ano: 2012
Páginas: 352
Tradutor: Rita Sussekind 
Adicione no "Orelha de Livro"
Compre AQUI - R$ 22,42


Sinopse: Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?.
Resenha:

Li este livro em 2012, o ganhei de uma amiga e quando comecei a lê-lo, não imaginava a distopia maravilhosa e aterrorizante que ele continha. Trouxe esta resenha agora, poque estou lendo o segundo livro e em breve, começarei o terceiro e último. Então vocês poderão acompanhar o incrível mundo sem a doença mais grave do planeta: Amor Delira Nervosa.
Imagine um mundo sem amor. Os pais não amam os filhos, os filhos não amam seus pais. Os homens e mulheres se casam por aparências. Você não pode amar. É perigoso. Se você amar, pode morrer. É neste mundo que Lena Haloway vive. Lena é uma garota normal, não se acha bonita, é estranha. Lena só tem uma amiga, Hanna, que é o oposto de dela, Hanna é linda e popular, mas por uma piada da vida, escolhe Lena como sua melhor amiga.



Lena não vê a hora de completar 18 anos e finalmente ser salva da doença mais perigosa do mundo: O Amor Delira Nervosa. Enquanto cresce, Lena tenta se manter firme no seu caminho, terminar o ensino médio, passar no exame para ser pareada, fazer a intervenção, entrar em uma faculdade e finalmente se casar com o homem que o governo escolheu para ela. Mas tudo isso, sem amor, pois depois que a intervenção é feita, você não consegue mais amar nada, não sente ódio, não fica triste, você é um robô que vive conforme o que todo mundo conhece. A cura para o amor existe, mas Lena realmente a quer? 
"Dizem que antigamente o amor levava as pessoas à loucura. Isso é ruim o bastante. A Shhh (Suma de hábitos, higiene e harmonia) também conta histórias sobre aqueles que morram por causa de amores perdidos ou nunca encontrados, e isso é o que mais me assusta. É o mais mortal entre todos os males: Você pode morrer de amor ou da falta dele."

Nunca o amor foi tão perigoso quanto é agora, Lena tem medo de olhar para um menino e pronto, pegar a doença. Por isso se mantém afastada e tímida, mas sem que ela perceba, alguém a observa, e quando ela percebe, a doença já faz parte de sua vida e Lena não quer mais viver em um mundo sem Alex.
"Enquanto estou deitada ali, com a dor penetrando meu peito e a sensação ansiosa e doentia se agitando dentro de mim e um desejo tão forte por Alex que é como uma faca rasgando meus órgãos e me dilacerando, tudo em que consigo pensar é: Isto vai me matar, Isto vai me matar, Isto vai me matar. E eu não me importo."

Um livro incrível Fiquei o tempo todo querendo entrar dentro dele para ajudar Lena. Alex é um verdadeiro Romeu em meio ao caos. Hanna, a melhor amiga de Lena, é maravilhosa, uma amiga de verdade. Um livro que te faz sentir o quanto o amor é importante e em como seríamos sem ele... Por ser narrado por uma adolescente, a leitura é fácil e super leve. Você nem percebe que esta lendo. Vi que terminei o livro porque chegou na parte dos agradecimentos, e mesmo assim ainda voltei e li o final de novo! Uma distopia única, que põe em xeque o amor e Tudo o que ele pode oferecer - sendo bom ou não. 



A capa é linda, na cor azul claro, toda metalizada com o rosto de uma mulher ao fundo, dentro das letras do título e do nome da autora. A diagramação é simples, mas bem feita. Sem erros de revisão aparentes. Super recomendo essa leitura. descubra com Lena como o mundo sem amor pode ser difícil!


Avaliação:



Sobre a autora: 



Lauren Oliver vem de uma família de escritores e por isso sempre acreditava (erroneamente) que passar horas na frente do computador todos os dias, meditando sobre a diferença entre "rindo" e "rir", é normal. Ela sempre foi um leitor ávido.
Ela freqüentou a Universidade de Chicago, onde ela continuou a ser o mais prático possível, formando em filosofia e literatura. Após a faculdade, ela participou do programa do MFA na NYU e trabalhou como assistente do mundo, pior, editorial e editor assistente de apenas marginalmente melhor, em uma grande editora em Nova York. Suas contribuições principais carreira durante este tempo foram desrespeitando o código de vestuário corporativo, a cada passo possível e repetidamente quebrar a impressora. "Antes que eu vá" é seu primeiro romance publicado.

10 comentários:

  1. o livro é mt bom, não vejo a hora de ler o segundo.
    esse foi um dos livros q me fez começar a ficar mt fã de distopia.

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  2. Oiii
    Sabe o quanto é difícil ler essa resenha? Até hoje não terminei a trilogia porquê chorei tanto no final de Delírio que até hoje minhas emoções estão em frangalhos, tenho receio de lê-los e me acabar de vez. Li Delírio ano passado e simplesmente me apaixonei por tudo que a Lauren criou, e foi como você, queria entrar no livro e ajudar a Lena. O que mais gosto nesse livro é toda a metáfora que a autora criou, que não é tão metáfora assim. O amor nos salva, e nos mata também. É uma total verdade. Eu vou ler os outros dois. Vou, sim. Vou criar forças para isso! kkk Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gosto bastante de distopias e achei a premissa bem diferente. Um mundo sem amor? Interessante. Acho que arriscaria a leitura, Ana. Existe uma boa possibilidade de eu adorar a série.
    Excelente resenha e valeu pela dica.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro

    ResponderExcluir
  4. Sempre vi esse livro por aí mas nunca procurei saber do que se tratava. Parece ser ótimo! Um distopia bem diferente das que vemos por aí hoje em dia. Um mundo sem amor é inimaginável.

    ResponderExcluir
  5. Gente, que livro!
    Já vi essa capa em algum lugar e achei linda, mas nunca tinha lido uma resenha sobre ele.
    Não posso imaginar um mundo sem amor. Todos vivendo feito robôs.
    Fiquei interessadíssima para ler essa distopia.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook Tem promoção de Halloween lá no blog. Não fique fora dessa!

    ResponderExcluir
  6. Achei historia linda! Gostoso e agradavel de ler ao mesmo tempo.
    As vezes tambem me pego me perguntado a me mesmo
    ser amor de fato e uma das piores doenças .... Sei lá ....
    Mas no final sempre fica um ponto de interrogação em minha cabeça!
    Odeio perguntas sem resposta??? Mas acabo acho que sim! Ou talvez não!
    So de escreve ja fico meio confusa com tudo. Mas okay !
    Achei a capa linda simples e doce.... as vezes pouco e muuuito!

    ResponderExcluir
  7. Me apaixonei ainda mais pelo livro e o bom é que eu o tenho a minha disposição para começar a leitura \o/ Comecei a gostar das distopias, o meu primeiro livro desse estilo foi O Doador de Memórias e eu me apaixonei. Sei que vou amar esse também, achei bastante interessante essa ideia de que o amor é uma doença, com certeza lerei.

    ResponderExcluir
  8. Achei bem diferente esse livro tratar de um mundo sem amor, tema bem interessante para uma distopia.
    Essa capa é linda demais!!!
    Amei a resenha! Bjs, Ana!

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana, tudo bem? Comecei a ler esse livro esse mês, mas não curti muito e acabei largando a leitura, mas acho que vou dar mais uma chance, pois adoro distopias, e achei a ideia desse mundo distópico sem amor interessante. Mas o que eu mais gosto numa distopia é quando a personagem vê como realmente o mundo que ela vive é, cheio de corrupção e tudo mais.

    Essa capa é realmente linda, e adoro a contracapa preta. E também achei bem legal os dizeres que tem no início de cada capítulo.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  10. Nossa, que proposta incrível tem esse livro, nunca tinha lido nada a respeito dele, mas adorei sua resenha e fiquei muito curiosa para ler esse livro!

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz