24 janeiro 2015

Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor a Primeira Vista - Jennifer E. Smith

Desafio Literário: I Dare You - Janeiro: Férias


Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501095442
Ano: 2013
Páginas: 224
Tradutor: Camila Mello
Adicione no "Orelha de Livro"

Compre AQUI - R$ 13,11
Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Resenha:
"Apesar de tudo - do voo lotado, do assento desconfortável e dos cheiros que estão tomando o ambiante - , ela não se sente pronta para sair do avião, onde foi tão fácil se perder nas conversas e esquecer de tudo que deixou e o que estava por vir."
Quando peguei este livro para ler, pensei que o tema seria outro, mas mesmo assim, foi uma boa leitura. A Probabilidade Estatística do Amor a Primeira Vista, é um livro pequeno comparado ao título, mas gostoso de ler e cheio de sentimentos.


Hadley está atrasada... por quatro minutos, perdeu o voo que a levaria para a Inglaterra, para o casamento de seu pai. Hadley não queria ir, mas sua mãe insistiu e ela sabe que não poderá fugir dele para sempre. Isso mesmo, fugir! Hadley odeia o fato de seu pai ter se mudado e de estar prestes a se casar, apesar de ter 17 anos, ela ainda se sente aquela garotinha que necessita da família unida para ser feliz.
Durante a espera para o próximo voo, ela conhece Oliver, um inglês fofo e muito engraçado. Juntos eles passam as próximas horas aguardando o voo e depois, as próximas horas durante o voo.
"Oliver é como uma música que ela não consegue esquecer. Por mais que tente, a melodia do encontro entre os dois fica tocando na cabeça repetidamente, cada vez mais agradável, como uma canção de ninar, como um hino; não tem como ficar cansada daquilo."
Confesso que o livro é me fez sentir sono no começo, a coisa começa a ficar boa mesmo, da página 100 em diante. Hadley reclama de tudo, é chata e parece mais uma menina de 8 anos do que uma garota com 17. Ao contrário de Oliver que tenta todo o tempo fazê-la esquecer de sua claustrofobia e dos momentos de tédio que certamente enfrentará no casamento do pai. Oliver é simpático, criativo e carinhoso. Mas fala pouco de si, quer mesmo conhecer Hadley, saber tudo o que puder sobre ela.


A narrativa é em terceira pessoa, pelo ponto de vista de Hadley. Mescla o passado e presente da protagonista, nos contando o porque de toda a sua raiva por seu pai e como vem aguentando a separação deles. O mais legal no livro, é a ideia que a autora passa de que um pequeno atraso pode mudar sua vida, colocar pessoas tão diferentes próximas e fazerem eles encontrarem algo de comum entre si!
"Mas Hadly compreendia. Não era para ler tudo. Leria no futuro, mas naquele momento o importante era o gesto. Estava dando para a filha a coisa mais importante que podia dar, a única que conhecia. Era um professor, um amante das histórias, e estava construindo uma biblioteca para a filha, da mesma forma que outros pais construíam casas."
A capa define bem o enredo do livro, a diagramação é simples. Os capítulos são separados por números, e como  história é contada em apenas 24 horas, também possui a hora na Costa Leste (Estados Unidos) e a hora de Greenwich (Inglaterra). Não vou dizer que o livro é ruim, porque não é, é uma história fofa e um pouco engraçada, as melhores frases são ditas entre Oliver e Hadley. Um romance gostoso, apesar de todas as reclamações da protagonista. Consigo entender a dor de Hadley, mas acho que ela deveria ser um pouco mais adulta ao enfrentar esse problema. O final é muito bom e deixa com aquele gostinho de quero mais sabe? Então, pra quem ainda não leu, aproveite as férias e leia!
"- As pessoas que se encontram em aeroportos têm 72 por cento de chance de se apaixonarem que as pessoas que se encontram em outros lugares." - Oliver


Avaliação:


Sobre a autora:


Jennifer E. Smith é autora dos livros A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista, The Storm Makers, You Are Here, The Comeback Season, This is What Happy Looks Like e seu mais recente sucesso, The Geography of You and Me. Ela completou seu mestrado em Escrita Criativa pela University of St. Andrews na Escócia e atualmente trabalha como editora na cidade de Nova York. Seu trabalho já foi traduzido em 27 línguas.

15 comentários:

  1. Eu já tinha ouvido falar desse livro, e lido umas resenhas sobre ele. Não tenho muita vontade de ler, apesar de parecer ser um livro fofo. Esse negócio de protagonista chata e imatura sempre me faz desanimar com uma leitura. Não sei se leria, esse tipo de romance geralmente não me atrai, e com essa protagonista, o caso ficou um pouco pior. Talvez eu possa até dar uma chance algum dia, pois vi muitos comentários positivos em relação ao livro. Ainda não me decidi completamente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. O livro parece engraçado, Ana. A princípio foi o que você disse ao participar do desafio, lembra? Porém, não achei aquela coisa toda.
    Confesso que não me interessei pela obra.
    Muito mimimi da parte da protagonista, isso enche um pouco.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 4 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bom?
    Adorei a resenha, eu tenho muita vontade de ler esse livro desde que o vi pela primeira vez, mas infelizmente ainda não o comprei, ganhei o outro livro da autora, só que também não li, fico feliz em saber que a leitura é gostosa, espero gostar dele.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Estou dando graças a Deus por não ter comprado esse livro, certamente não iria gostar! rs essa coisa de personagem adolescente que se comporta como criança é um saco. Fiz certo em ler Vinte Garotos no Verão pro IDY, então :) ótima resenha! Beijos

    http://www.devaneiosdepapel.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ana não me interessei em nada pelo livro, nome muito grande pra pouca coisa rs

    ResponderExcluir
  6. Amei a resenha, e já adicionei o livro à minha lista de leitura! Acho que vou gostar dele, quem sabe, se eu encontrar ele na livraria n seja amor a primeira vista hein kkk *trocadilho estranho* mas espero q eu goste! Bem q estava procurando um romance pra ler agr haha bjos Ana!

    ResponderExcluir
  7. Ana, esse livro tem a capa bem meiguinha, e que bom que a capa representa a obra. Mas a história é bem clichê.
    Gente, que coisa mais... Sei lá definir.
    E se o livro te fez sentir sono, acredito que eu dormiria no meio da leitura hahaha.

    ResponderExcluir
  8. Oi Amiga.... eu tenho uma relação constante de duvida sobre este livro... muitas vezes quero ler e outras vezes não... pode ser que isso venha acontecer... ainda não sei... bom gostei da resenha mesmo quando disse que a protagonista é reclamona, muitas pessoas que leem o livro dizem isso... mas no fim... ela tem os seus motivos para ser assim não é mesmo?? Xero!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana.

    Ainda não li nada da autora e tenho interesse em suas obras. Apesar de você classificar o livro com apenas três estrelas e falar que é um romance fofo eu não perdi o interesse nele. A única coisa que realmente me desanimou foi saber que ele se passa em apenas 24 horas, quero saber esse final que te agradou.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Instagram

    ResponderExcluir
  10. A capa do livro em si já me chama atenção mais do que tudo, adoro todos os detalhes dela. A história me parece fofíssima, e eu que não gosto de romance achar isso nao é pra qualquer livro hahahaha acho que a tua resenha destacou bem os pontos positivos da história, e eu com certeza leria, há algum tempo estou querendo isso, inclusive hahahaha

    ResponderExcluir
  11. Olá, Anitta! Sou doido pra ler esse livro, romântico incorrigível que sou não iria me decepcionar! Acho essa capa muito fofinha e esse lance da história se passar em apenas um dia me deixa empolgado!
    Adorei sua resenha! Faz sorteio do livro que eu quero ganhar! kkkkk
    xoxo
    Visita lá Bookmore

    ResponderExcluir
  12. Oie, td bom?

    Eu adoro esse título e sempre fico curiosa. Um dia ainda pego ele hehe

    Beijos!
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir
  13. Eu gostei bastante desse livro. Apesar de ter o casal de protagonista mais chatos de todos os tempos. A garota é mimizenta, e o cara é metido a engraçadinho misterioso. No começo, ele pode até soar divertido, mas chega uma hora em que essa tentativa de ficar fazendo piadinhas com tudo, cansa. Acho que o que me fez gostar do livro foi a narrativa da autora. Ela sou "tirar leite de pedra" com essa casal tão chato.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  14. Todos acham essa história fofa e ficam querendo mais ao terminar, mas fiquei um pouco desanimada pra ler por causa do mimimi da Hadley. :D
    A resenha está muito boa! Um abraço, Ana!

    ResponderExcluir
  15. Ana *-*

    Só eu que acho esse livro uma fofura? Cada resenha que vejo só serve pra aumentar a minha curiosidade! Uma coisa que me irritou (e tenho certeza que vai me irritar também durante a leitura) são as reclamações constantes da protagonista. Pelas resenhas que li ela chega a ser bem chata com essa raiva toda pela pai.. Mas pra conhecer o Oliver acho que vale encarar isso, rs! Adorei a resenha, e claro que também vou me aventurar com o livro.
    Bjs

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz