26 maio 2015

Resenha: Razão e Sensibilidade - Jane Austen

Desafio Literário I Dare You - Maio: 
Romance Histórico


Edição: 3
Editora: Martin Claret
ISBN: 9788572327596
Ano: 2009
Páginas: 298
Tradutor: Roberto Leal Ferreira
Adicione no Skoob
Compre AQUI - R$ 17,90
Sinopse: Considerada uma das mais importantes representantes da literatura inglesa, ao lado de Shakespeare — passou toda a sua vida no interior de um diminuto círculo social, formado pela aristocracia rural. Tematizando o dia-a-dia das pessoas comuns, com fina ironia e aguda percepção do ser humano inserido na sociedade da época, Austen introduziu o romance inglês na modernidade. Razão e sensibilidade (1811) é a história de duas irmãs — Elinor e Marianne, respectivamente a “racional” e a “sensível” —, as quais, em razão do falecimento do pai, têm de se adaptar a um estilo de vida mais modesto, em meio a uma sociedade inteiramente dirigida pelo status social.



Resenha:

Este é um livro que tenho a uns 2 anos na minha estante e não conseguia tempo para lê-lo. Comprei-o juntamente com Persuasão e Orgulho e Preconceito, os dois últimos já li e gostei muito. Razão e Sensibilidade não foge muito do parâmetro de escrita da autora, neste volume, ao invés de uma heroína, Jane Austen nos brinda com dua! Elinor e Marianne, duas irmãs regidas por seus sentimentos: a primeira pela razão e a segunda pela sensibilidade.


Após o falecimento do pai, as irmãs precisam se adaptar a um estilo de vida mais simples. Juntamente com sua mãe e irmã mais nova, vão morar em um chalé em Barton, onde Elinor, a mais velha das irmãs, já nutre um sentimento por Edward, irmão de sua cunhada Fanny (pessoa desprezível essazinha....), e Marianne conhece e se apaixona por Willoughby um cavalheiro que tem tudo para ser o marido ideal. Mas como não é feitio da autora, acontecimentos separam essas almas apaixonadas e, surpreendentemente, o final vai chegando e não conseguimos visualizar um final feliz para nossas heroínas.... (suspense).
"Deixar as vizinhanças de Norland não era mais um mal, era um objeto de desejo, era uma benção, em comparação com a desgraça de continuar a ser hóspede da nora; e mudar-se para sempre deste lugar tão querido seria menos doloroso do que o habitar ou visitar enquanto uma mulher como aquela fosse a sua proprietária."
No começo do livro, eu fiquei pensando em como esse história poderia terminar, e confesso que me surpreendi! A escrita de Jane é gostosa e sua aprofundação do gênero de cada personagem nos faz querer mais e mais, quando percebi o livro estava acabando e eu queria muito continuar lendo infinitamente! Outro ponto positivo é a descrição dos lugares e gostos dos personagens. Jane Austen tem uma maneira perspicaz de falar sobre sua época, e ainda torna tudo mais engraçado e cheio de reviravoltas.


A narrativa é em terceira pessoa, pelo ponto de vista das personagens principais, mas também temos um conteúdo abrangente, onde cada personagem tem sua cota de explicações e motivos. Eu adorei a leitura e super indico. Pretendo ler e ter, todos os livros desta autora, pois, além de ser livros cheios de história inglesa também possui personagens marcantes e interessantes.
"E era capaz de responder tão bem às suas expectativas, que, quando se juntou a elas para jantar, só duas horas depois de ter sofrido pela primeira vez  o fim das suas mais caras esperanças, ninguém adivinharia pela aparência das irmãs que Elinor estivesse chorando em segredo por obstáculos que deviam separá-la para sempre do objeto de seu amor..."
Minha edição é de bolso,  da Coleção A Obra-Prima de Cada Autor, da editora Martin Claret. A capa é linda e condiz com o enredo apresentado. Encontrei alguns erros de revisão, o que não prejudicou a leitura. Este volume tem a ortografia atualizada segundo o acordo ortográfico da Língua Portuguesa, por isso, não encontramos palavras de difícil entendimento, o que era normal na época em que foi escrito.


Se mais, convido a todos a conhecer as irmãs Dashwood e se apaixonarem por suas histórias únicas!
"Marianne Dashwood nascera para um destino extraordinário. Nascera para descobrir a falsidade de suas próprias opniões e para contrariar com sua conduta suas máximas mais queridas."

Avaliação:


Sobre a autora:


Romancista britânica nascida em Steventon, Hampshire, Inglaterra, cuja obra literária deu ao romance inglês o primeiro impulso para a modernidade, ao tratar do cotidiano de pessoas comuns com aguda percepção psicológica e um estilo de uma ironia sutil, dissimulada pela leveza da narrativa. Filha de um pastor anglicano, toda a sua vida transcorreu no seio de um pequeno grupo social, formado pela aristocracia rural inglesa. Aos 17 anos, escreveu seu primeiro romance, Lady Susan, uma paródia do estilo sentimental de Samuel Richardson. Seu segundo livro, Pride and Prejudice (1797), tornou-se sua obra mais conhecida, embora, inicialmente, tenha sido malvisto pelos editores, o que levou por algum tempo ser descriminada no meio editorial. Depois conseguiu publicar o romance Sense and Sensibility (1811), cujo sucesso levou à publicação, ainda que sob pseudônimo, de obras anteriormente recusadas. Vieram ainda outros grandes sucessos como Mansfield Park (1814) e Emma (1816) em um estilo menos ágil e humorístico, porém ganhando em serenidade e sabedoria, sem perda de sua típica ironia. Morreu em Winchester, um ano antes de serem publicadas as obras Persuasion e Northanger Abbey, uma deliciosa sátira, escrita na juventude, ao gênero truculento da novela gótica. Seu poder de observação do cotidiano forneceu-lhe material suficiente para dar vida aos personagens de suas obras, e a crítica considerou-a a primeira romancista moderna da literatura inglesa.


4 comentários:

  1. Olá, Ana.
    Da Jane só li Orgulho e Preconceito, então preciso mudar isso. rs
    Essa é uma boa dica para um segundo livro a ser lido, até porque gostei bastante da premissa.
    Eu acho a escrita da Jane bem tranquila se comparada aos outros clássicos. Realmente não são usadas palavras complexas.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  2. O único livro de Jane Austen que eu ainda nao li foi esse e apesar de adorar os livros da autora, e da sua resenha ser D +, nao tenho interesse ainda de ler ele, por enquanto vou esperar mais um pouco.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana!
    Finalmente desencalhou esse livro da estante, hein, mulher? kkkkkk
    Com sua resenha fiquei com mais vontade ainda de ler esse livro, pela escrita da Jane ser cheia de reviravoltas e com ótimos personagens.
    Amei a resenha! Bjo <3

    ResponderExcluir
  4. Sério que você gostou dessa capa? Achei tão feinha UHASUASUH
    Eu só li Orgulho e Preconceito até hoje mas sou apaixonadaaaaaa e quero ler todos os livros da Austen agora, só me falta o dinheiro.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz