04 junho 2015

Resenha: Um Dia - David Nicholls





Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570458
Ano: 2011
Páginas: 416
Tradutor: Claudio Carina

Adicione no Skoob
Compre AQUI - R$ 15,90
Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro.
Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.
Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.
Resenha:

"A última vez em que os dois se encontraram, coisas foram ditas. Algo aconteceu. O que ele ia dizer agora? O que ela diria? Sim ou não?"
Vamos lá: como falar de um livro que te fez rir, chorar, sentir raiva e querer matar o autor? É difícil... veja bem, não é porque o livro é ruim, longe disso, o livro é muito bom, mas a vida acontece para todos neh? E com os personagens Dex e Em não poderia ser diferente, ainda mais quando a história dos dois é contada ao longo de vinte anos! Pois é... vinte anos... (chora mais um pouco).



Como a sinopse diz, Um Dia conta a história de Dexter e Emma. Eles se conhecem em 1988 e no dia 15 de julho, passam o dia juntos. Eles acabaram de se formar na faculdade e têm um horizonte de possibilidades pela frente. Mas este único dia, pode e vai revelar muita coisa no decorrer das páginas.


Emma é uma personagem sensata, tipo certinha sabe? Adora ler e seu sonho é fazer a diferença, escrever um romance e ser bem de vida. Dexter é bem de vida: bonito e atraente, sabe das suas qualidades e as usa para obter o que quer - mulheres. É aquele personagem mulherengo que adoramos odiar, mas depois passamos a odiar por gostar dele.
"- As pessoas te amam, Dex, de verdade. O problema é que elas te amam de uma forma irônica, meio sacana, uma espécie de mistura de ódio e amor. O que você precisa é de alguém que ame você sinceramente... "
Dois personagens diferentes com um sentimento em comum.... uma amizade verdadeira e forte que cresce no decorrer dos anos, mais puxada para uma paixão pelo lado de Em, e pelo lado de Dex, uma segunda mãe que tem quase a sua idade.


E foi assim que me perdi nas páginas deste romance e confesso que gostei muito do enredo, mas tive um surto psicótico no final. Quis matar o autor (ainda quero) e jogar o livro longe. Mas depois que parei para pensar, a vida realmente aconteceu para esses dois. Eles tiveram altos e baixos, brigas e reconciliações, amizade, amor, sexo, drogas e um final.... Uma história linda que me deixou com o coração despedaço e desejando muito, muito mesmo que essas duas almas nunca tivessem entrado na minha vida de leitora, porque esquecer vai ser difícil! rs


Outro ponto que gostei muito, é a ideia do autor de marcar o dia 15 de julho como o dia para contar o que acontece com nossos protagonista no decorrer dos anos. Sim, é uma data que remete a algo, mas que o leitor só descobre quando o livro esta acabando. A história deles roda o mundo praticamente, mas é mais concentrada em Londres, o que eu adorei, assim como as tiradas sarcásticas de Emma e sua alma de escritora. A narrativa é em terceira pessoa e temos uma ótima visualização de ambas as partes: tanto Dex quanto Emma. Encontrei alguns erros de revisão, o que não atrapalhou minha leitura; eu particularmente, prefiro esta capa do que a do filme, pois não consigo ver o Dex no ator Jim Sturges.


Por falar no filme, sim, eu já assisti antes de ler o livro, mas não me lembrava muito bem da história e com toda a certeza, prefiro o livro. A ideia de lê-lo veio do nosso grupo do livro no Watsapp, fizemos uma votação e ele foi escolhido. Me arrependo? Não, mas a dor no meu coração não passa! kkkkkkkkk Tá, parei com a dor, sério!
"Você é linda, sua velha rabugenta, e se eu pudesse te dar um só presente para o resto da sua vida seria este: Confiança.
Seria o presente da Confiança.
Ou isso ou uma vela perfumada."
Enfim, recomento sim o livro para todos que gostam de um bom romance, e olha que não sou fã do gênero heim, como diz uma das namoradas do Dex, não gosto de como meu rosto fica quando choro! rs.


Avaliação:


Sobre o autor:


Formado em literatura e teatro inglês, optou pela carreira de ator e recebeu uma bolsa na American Musical and Dramatic Academy de Nova York. De volta a Londres, atuou em espetáculos teatrais no Battersea Arts Centre, The Finborough, West yorkshire Playhouse e Birmingham Repertory Theatre. Entre uma peça e outra, em Londres, Nicholls trabalhava como vendedor na rede de livrarias Waterstone's, em Notting Hill. Após trabalhos freelance, conseguiu emprego como leitor de peças e pesquisador da BBC Radio Drama, o que o levou á edição de roteiros na London Week Television e na Tiger Aspect Productions. Nessa época, começou a escrever e adaptou a peça de Sam Shepard, Simpatico, que se tornou um filme estrelado por Sharon Stone e Nick Nolte, em 1999. Ao longo de sua notável carreira de roteirista, recebeu duas indicações ao BAFTA. Além de Um dia,publicou romances Starter For Ten Understudy



HA!!!! quem quiser participar do nosso grupo do livro no Watsapp, é só mandar o número para (12) 988299235
Bjo^^


5 comentários:

  1. Nossa, parece ser mesmo um livro que quebra o coração da gente, e tô na vibe de leituras assim, então com certeza vou ler!
    Também prefiro mais essa capa, difícil a capa do filme ser mais bonita que a do livro.
    Amei a resenha! Bjo, Ana <3

    ResponderExcluir
  2. As primeiras páginas, foram entediantes. Mas este livro é perfeito! Romance perfeito, história contada de forma perfeita e o final surpreendente.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ana.
    Até eu que não sou fã de romances achei interessante a premissa. Sua resenha foi tão convincente que me deu vontade de ler a obra. rs
    O que mais me chamou a atenção é que o romance parece ser natural, não é algo forçado; o que eu detesto.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li, mas e ja esta na minha lista de desejos, quem sabe consigo ler ainda esse ano? *-*

    Se puder dá uma passadinha la no blog e confere as ultimas postagens *-*
    Bejinho!
    Naty Rangel​
    livrosdanatyrangel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa! Pelo jeito esse livro é uma montanha-russa de sentimentos, hein?!?!
    Fico só imaginando o que o David Nichols aprontou pra você querer mata-lo assim. Já vi que não foi coisa boa. Kkkkkk
    Pretendo ler/assistir algum dia. Espero que seja em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz