12 janeiro 2016

Resenha: O Segredo da Caveira de Cristal - Livro 1 - Mallerey Cálgara


Edição: 2
Editora: Mundo Uno
ISBN: 9788582550663
Ano: 2015
Páginas: 326
Compre: R$ 28,90 (frete Grátis) Mundo Uno Editora

Livro cedido em parceria com a Editora
Sinopse: Os habitantes de Heilland, cansados de décadas de guerra e fome, depositaram todas as suas esperanças no Rei Alphonsus, que governava com justiça e bondade. As esperanças cresceram com a notícia de que a Rainha Arápia estava grávida de gêmeos, embora muitos, no castelo, assegurassem que uma nova guerra estava sendo travada no ventre da soberana.Os gêmeos nasceram e, com o passar do tempo, Heilland compreendeu que havia um novo inimigo, ainda mais implacável: o sombrio futuro Rei. Dor, ódio, sangue, traição, passaram a fazer parte da rotina do castelo, restando ao mago Mongho e à futura Rainha Driadh a perigosa busca por respostas! Embarque nessa aventura cheia de mistérios e lutas pelo poder.
CONHEÇAM O BLOG:
http://osegredodacaveiradecristal.blogspot.com.br/



Resenha:

O Segredo da Caveira de Cristal é o segundo livro que leio da autora e foi visível a mudança na escrita e narrativa apresentada neste livro.
Aqui, vamos conhecer o reino de Heilland, um lugar agradável para se viver, onde o rei é bom e justo com seu povo.
Rei Alphonsus é um homem bom e sua felicidade se completa com o nascimento de seus filhos, mas logo que ambos nascem, é visível a diferença entre eles: enquanto Sulco é forte, ambicioso e mau, Heian é totalmente o oposto.


Quando é chegada a hora de assumir o trono, Rei Alphonsus decide que Sulco, o primeiro a nascer, não é o rei que seu reino precisa. Assim, indica Heian para sucedê-lo e isso faz de Sulco o pior inimigo de seu irmão.
"Os habitantes eram felizes durante o reinado do rei Alphonsus, um rei de beleza cativante e muito sorridente (...) Era um homem humilde de coração, que se considerava um servo do povo. Trouxe paz e a prosperidade para suas terras."
O Segredo da Caveira de Cristal é um livro curto, com uma narrativa rápida que leva o leitor a ficar instigado com a história. No decorrer da trama, vamos conhecendo os personagens que nos acompanharão nos próximos volumes. Mongho é um deles: um jovem mago que perdeu seu pai e encontrou em Heian, um amigo e um irmão. Mongho é de longe, o personagem que mais gostei no livro. Sua sagacidade, curiosidade e força, fazem dele um personagem único! E pode ter certeza que ele trará grande brilho para os demais livros.


A narrativa é em terceira pessoa e acompanha todos os personagens principais do livro. As descrições são boas, conseguimos visualizar o reino e seus habitantes. Também conseguimos entrar na cabeça do vilão e sentir seu desejo de vingança e sangue.
O começo do livro é bem lento, levando-nos a perguntar quando a ação começaria, mas por outro lado, isso foi muito bom, pois assim conseguimos conhecer mais sobre os reinos que cercam Heilland, as lendas e crenças de cada povo. Vamos conhecer também, Malecs, um reino mágico, habitado por magos e bruxas e confesso que eu queria muito saber mais sobre ele.
"Mongho sentia um carinho muito forte por ele. Via-o como um verdadeiro irmão. Laços verdadeiros que rompiam as diferenças sociais. Os sentimentos fluíam do coração de Mongho ao pensar na promessa que fizera à rainha. Iria se esforçar para cumpri-la, nem que isso lhe custasse a vida... E quase lhe custou."
Um ponto negativo para mim, foi o uso de uma linguagem diferente durante a leitura: creio que a autora quis colocar um diferencial, mas para mim ficou um pouco confuso, ainda mais com a tradução no rodapé da página. Fora isso, adorei a edição. A Mundo Uno Editora fez um trabalho maravilhoso! A capa condiz com o enredo apresentado, a diagramação boa e letras em tamanho confortável, tornaram minha leitura mais fluída. Não encontrei nenhum erro de revisão.


Enfim, para quem gosta de enredos medievais com mistério, magia e suspense, não pode deixar de conferir essa obra! Mallerey, além de um enredo fantástico, também nos traz lições valiosíssimas de amor, respeito, coragem e amizade. Recomendo!


Avaliação:


Sobre a autora:



Nasci no interior de Minas Gerais, Carmo do Cajuru, sob o signo de Aquário. Aos quatro anos mudei-me para Belo Horizonte,onde moro até hoje.Sou leitora voraz desde os cinco anos quando aprendi a ler com uma de minhas irmãs.Por volta dos meus nove anos,meu livro de paixão era O Pequeno Príncipe,de Antoine Saint-Exupéry,que considero ter marcado minha vida.Cursei a faculdade de psicologia e acrescentei em minha lista escritores consagrados como Dante, Sartre, Freud, dentre outros.Trabalhei na aviação alguns anos como comissária de bordo.Participo de projetos ligados a proteção de animais e mantenho em minha residência um abrigo para cães e gatos com minha filha.Sou possuidora de grande imaginação e fui incentivada por minha família a colocar no papel minhas ideias, de onde nasceram as obras de ficção Beco da Ilusão, O Segredo da Caveira de Cristal e Anjo Negro,sendo este último minha primeira publicação.

7 comentários:

  1. Olá, Ana.
    A premissa do livro me chama muito a atenção, principalmente por causa dessa pegada meio épica, com reis, magos... Provavelmente irei gostar do resultado.
    Mesmo com o ponto negativo, o uso da tal linguagem, daria uma chance para a obra.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana!
    Esse livro tem uma premissa muito interessante.Gosto muito desse gênero e o livro ser cheio de aventura épica, mistério, magia e suspense, só serviu pra me deixar bastante curiosa. Espero que essa linguagem diferente que a autora introduziu não atrapalhe na leitura.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana.

    Menina, amei esse livro! É tudo de bom. Dica mais do que anotada.

    A melhor parte foi saber que não tem erros no tetxo!!! UHU!

    Amei a resenha,

    Abraços,
    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ana!
    Tive oportunidade de ler esse livro e embarquei de cabeça na leitura'
    Concordo: Mongho é o melhor personagem do livro e até acho que o principal.
    Estou na espera do segundo livro.
    “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” (Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana!
    Gosto demais deste livro, e sempre me surpreendo com a quantidade de história que Mallerey consegue condensar em tão poucas páginas! E concordo: a gente quase pode ver o reino de Heilland, e os personagens parecem vivos, de tanta personalidade que têm!
    Beijos,
    Eleonor

    ResponderExcluir
  6. Eu acho ruim quando eles tentam colocar uma forma de linguagem diferente da que estamos acostumados, pois isso pode muitas vezes complicando para nós leitores entender algumas partes, mas mesmo assim se eu tivesse ele em mãos eu daria uma chance.

    ResponderExcluir
  7. Discordo da parte que não a erros, estou na página 147 e encontrei alguns, nada em exagero mas existem...

    O livro e bom, com introdução (prólogo) confusa e desestimulante, expõe de forma acelerada a história dos reinos, mas ao decorrer da leitura está me surpreendendo bastante. Em alguns momentos confuso nas abordagens mas estou gostando.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz