05 abril 2016

Resenha: Era uma Vez no Outono - Lisa Kleypas

Edição: 1
Editora: Arqueiro
Autor: Lisa Kleypas
Serie : As Quatro Estações do Amor (Wallflowers) – Livro 2
Titulo Original: It Happened one Outumn
ISBN: 9788580414950
Ano: 2016
Páginas: 288
Tradutor: Maria Clara de Biase

Sinopse:
A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa.
Marcus é o típico britânico reservado e controlado. Mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar.
Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?

"Era uma Vez no Outono" é o segundo livro da serie Os Quatro Estações do Amor, precedido por "Segredos de Um Noite de Verão". Para conferir a resenha já publicada aqui no blog do livro anterior, é só clicar no título.

Resenha:

Quem aqui acompanha o blog já deve ter lido a resenha de “Segredos de uma Noite de Verão”  da autora Lisa Kleypas que foi publicada aqui no final do ano. Quem não leu, de uma olhadinha, o link está ali em cima destacada em negrito. Mas não se preocupe, esta resenha não contem nenhum spoiler muito revelador no livro anterior, afinal, os livros desta serie são minimamente interligados.

Em "Era uma Vez no Outono" vamos acompanhar a historia de Lilian Bowman, outra integrando do grupo autointitulado “Flores Secas”, composto por Annabelle, Lillian, Evangeline e Dayse que são quatro garotas que ficavam sempre excluídas nos salões de baile durante a temporada, sem dançar e sem nunca serem notadas por nenhum rapaz durante os eventos sociais, mas, que decidiram se juntar para mudar essa situação e conseguirem  maridos, antes que comecem a ser intituladas “solteironas”.

Annabelle foi a protagonista de “Segredos de uma Noite de Verão”, o primeiro livro da serie, pelo fato de ser a mais velha do grupo, e portanto, a com mais pressa em se casar. É claro, não revelarei detalhes deste livro, mas  deixo claro que as Flores Secas tiveram sucesso em sua primeira missão.  E agora é a vez de Lillian, a próxima solteira mais velha do grupo e dona de uma personalidade fortíssima e extremamente intempestiva e que nutri uma antipatia mutua por Lorde Westcliff, o partido mais cobiçado das ultimas temporadas e um dos homens mais ricos da sociedade londrina.
"O motivo de eu detestá-lo tanto, Daisy, é que ele obviamente me detesta. Considera-se superior a mim de todos os modos possíveis: moral, social e intelectualmente... Ah, como eu queria encontrar um meio de deixá-lo chocado!"
Lillian Bowman é irmã mais velha de Dayse,  e a família Bowman não é muito bem vista na sociedade pela fato de serem novos ricos que fizeram fortuna ramo mercante, e para piorar, são americanos que não conhecem quase nenhuma das inúmeras regras de etiqueta impostas pela sociedade londrina.
E este é o fato que faz com que Lillian e Dayse não sejam cortejadas por nenhum rapaz aceitável (nenhum rapaz. Ponto.) apesar de serem donas de uma bela fortuna e um bom dote.

Durante a temporada um dos eventos mais cobiçados e desejados pelas solteiras é os acontecimentos em Stony Cross park, a mansão de Lorde Westcliff, onde os convidados permanecem por mais de um mês na propriedade, desfrutando de diversos bailes e eventos sociais.
É claro que os Bowman são convidados, devido ao fato de possuírem dinheiro e um empreendimento rentável .Não que seja pela vontade de Lorde Westcliff, que apesar de ter interesse em fazer negocio com o pai das garotas, não deseja ficar nem um minuto ao lado de Lilian Bowman, por quem desenvolveu uma antipatia e aversão, desde a temporada passada, quando pegou Lillian e suas amigas em algumas situações nenhum um pouco apropriada para damas solteiras e dos vários embates e discussões em que ela o enfrentou de igual para igual.

E quando é chagado o momento em que Westcliff e Lillian são obrigados  a viver sobre o mesmo teto e socializar apesar do desprezo mutuo, é claro que muitas coisas vão dar errado e Lillian vai por a prova todo o auto controle do britânico certinho e cheio de pompa.
“- Sim - disse Lillian, corando um pouco. - Nossos pais nos trouxeram aqui para encontrar maridos. Eles querem injetar sangue azul na linhagem.- É isso que a senhorita quer?- Meu único desejo é derramar um pouco de sangue azul - murmurou ela, pensando em Westcliff.”
Uma amiga que leu este livro antes de mim me veio com a seguinte afirmação: “Este é o melhor livro que Lisa Kleypas já escreveu.”  Ok, eu fiquei meio em duvida, pois como vocês bem sabem, a serie Os Hathaways escrita por ela, esta entre os meus livros favoritos. Todos eles, sem exceções. Então, é claro que fiquei cética quando a isso. Mas agora, com leitura finalizada, eu só posso dizer que ela tinha toda a razão. Lisa Kleypas se superou de todas as formas neste livro, do inicio ao fim. Esta obra é um primor e com certeza, o melhor já escrito por ela e um dos melhores que já li do gênero.
O primeiro volume da serie já é muito bom, mas durante a leitura eu senti falta de um algo mais, aquela pitada de tempero que me faria devorar o livro. Não sei explicar o motivo, talvez pelo fato de que Annabelle é uma personagem mais simples e em todos os momento se encaixa ou tenta se encaixar nos padrões da sociedade, ao contrario de Lillian.

Lillian Bowman é um personagem impar, extremamente não convencional ou estereotipado, mesmo para os padrões de romance de época. E é isso que faz dela tão envolvente e amável. Ela está a procura de uma marido, isso é inegável, mas  totalmente por pressão psicológica da mãe. Em seu intimo, Lillian anseia por ser livre para ser o que é e viver como bem entender. Mas, como a sociedade exige que as moças casem e forme família, ela espera pelo menos que seu marido seja alguém que realmente a aceite e de preferência que arrebate seu coração e a faça perder a cabeça de paixão.

Já Marcus Marsden, o elegante e refinado lorde de Westcliff é totalmente ao contrario de Lillian. Marcus é o mais perfeito espécime da aristocracia Londrina. Vindo de boa família e dono de um dos títulos mais antigos, ele é um dos mais ricos e influentes homens e desperta o desejo e a atenção de 10 entre 10 moças solteiras, seja por sua fortuna ou por seu porte imponente e beleza inegável.  Mas Marcus é um homem austero e frio, de poucos amigos e com um gênio forte, conhecido por sua capacidade de negociação e sua postura inabalável.

Só que para Lorde de Westcliff o amor é algo supérfluo e super estimado. Ele sabe que precisa se casar e gerar herdeiros para perpetuar a título e a boa linhagem da família. Ou seja, para ele casamento é um ato contratual e uma mera conveniência para fins maiores.

Mas, em uma tarde de Outono ensolarada, Marcus flagra Lillian jogando rounders com os cavalariços nos pátios de sua propriedade e a cena inusitada desperta nele um sentimento, até então desconhecido, de uma intensidade que o apavora.
É neste momento também que Lillian percebe que existe muito mais por baixo da aparente frieza exibida por Lorde Westcliff nos bailes, que por baixo da superfície existe um homem intenso e apaixonado que poderia ser exatamente o que ela sempre procurou.

Mas é daí que vem o problema. Eles se desprezam, e mesmo que isso não fosse verdade, Marcus precisa de uma mulher de sangue azul, alguém aceitável para receber o Condessa. E não existe ninguém menos apropriado para isso do que Lilian Bowman, uma estrangeira indisciplinada e teimosa.

Enfim, como vocês podem perceber, o livro vai render boas gargalhadas ao leitor. Lisa Kleypas desenvolveu aqui um dos romances mais bem estruturados que eu tive o prazer de ler. Ela mescla, humor e drama com uma maestria que prende o leitor do inicio ao fim. Sem contar, é claro, que construiu personagens que possuem características e personalidade marcantes, e que se mantem do inicio ao fim, sem se perder ao longo da trama. Existe também essa diferença gritante entre os protagonistas. Ela é uma força da natureza, livre e indomável, apesar da necessidade de se encaixar para ser aceita. Já ele, é um homem frio e calculista que quase não demonstra sentimento. E é por isso que quando essas duas personalidades opostas se encontra, é garantia de um embate intenso e boas gargalhadas para os leitores

Mas um ponto importante e que me intrigou, foi o fato de que Lisa Kleypas deixou um pouco de lado neste livro a questão honra masculina. E isso me chocou bastante.
O que eu vou falar a seguir não é um spoiler realmente, afinal em todo romance de época, nos. os leitores já imaginamos o fim, o que importa é como chegamos a isso. Então, é claro que rola sexo entre os protagonistas em alguém momento. Mas, ao meu ver a autora pecou neste quesito. Na verdade somente em uma cena, que é a primeira vez em que ela retrata o ato sexual entre os protagonista, que acontece quando Lillian está bêbeda. Ela esta chateada e bebe uma garrafa de licor, então Marcus chega, com a intenção de ajuda-la, é claro, e o ato acontece. Mas a protagonista chega ao extremo de achar que a situação é um sonho e não realidade.  Isso abre margem para questionamento: Sexo consentido ou estupro? É claro que existe o envolvimento prévio entre eles, mas o fato de ela não estar em plena consciência é no mínimo questionável.
Eu realmente acredito que a ideia da autora era tornar a cena engraçada e descontraia, pelo fato de que Lillian estaria desinibida e um tanto atrapalhada.  Mas acabou se tornando um decisão de extremo mal gosto.  Friso aqui que está é uma opinião minha sobre uma situação ocorrida e que me chocou, mas, que não interferiu e nem desqualificou a obra, de forma alguma.

Mas falando sobre o livro físico e a parte gráfica, só posso dizer que ele segue o padrão de qualidade da editora Arqueiro, com uma capa maravilhosa e uma diagramação de qualidade, sem erros de revisão aparente, paginas amareladas e uma fonte agradável para leitura.

Para finalizar, já que me estendi horrores por aqui, preciso dizer que Lisa Kleypas é maravilhosa, a escrita dela é leve e fluida , em todos os livros já escritos e que eu tive o prazer de ler. Mas, em especial, se eu tivesse que indicar um livro pelo qual você dever começar, seria essa serie, com certeza!
"- Ela é manipuladora.
- Você também é, querido.
Ele ignorou o cementatório.
- Ela é dominadora.
- Como você.
- Ela é arrogante.
- Você também - disse Lívia, alegre.
Marcus a olhou de cara feia.
- Achei que estivéssemos discutindo os defeitos da Srta.Bowman, não os meus."
Sobre o autor:


Depois de se formar na Universidade de Wellesley em Ciências Políticas, publicou seu primeiro romance aos vinte e um anos de idade. Em 1985, ela foi nomeada Miss Massachusetts e competiu o Miss America, em Atlantic City. Lisa está casada e tem dois filhos.
Em sua página na web, a autora conta: "Comecei a escrever romances porque sempre amei lê-los. Indiscutivelmente, fui uma nerd durante toda a escola primária e, mesmo "florescendo" na secundária, acredite, a nerd interior ainda estava aqui. Nunca pude imaginar um tempo melhor aproveitado do que lendo um livro, e este amor pela leitura, com o tempo, se traduziu num profundo desejo de escrever um."

4 comentários:

  1. Olá, Geeh.
    Sempre acho esse tipo de romance extremamente previsível e isso me irrita. Contudo, ainda assim, daria uma chance para a obra por causa da Lillian. Ela parece ser o tipo de personagem que amo, principalmente por estar à frente do seu tempo.
    Ótima resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de abril. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Geeh, eu sou completamente apaixonada por romances de época. Posso afirmar que é meu gênero preferido desde que tive o primeiro contato com o livro de Julia Quinn, e foi amor a primeira lida <3
    Esta serie também é outra que está em minha lista de desejados desde seu lançamento. As capas são lindíssimas e suas histórias são de encantar qualquer leitor, em especial este, que encontraremos um romance ardente e de tirar o fôlego, e uma protagonista que foge completamente das regras daquela época.
    Um serie que já me conquistou só por sua resenha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Eu sou totalmente apaixonada por romances de época, ainda não li nenhum Livro dessa autora. Mas essa é a segunda resenha que leio sobre esse livro e que desperta ainda mais essa curiosidade.
    A mocinha parece ser bem independente o que já me cativou bastante, não sou muito fã de quando os personagens tem uma antipatia mútua, mas esse parece ser bom, gostei.
    Apesar de todo o clichê (mas quem não gosta né?) Eu realmente preciso me informar sobre o livro anterior.
    Boa Tarde.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Não sei se é o melhor que ela escreveu, mas dessa série foi o que mais gostei e não teve livro com dois personagens mais teimosos e fofos juntos! Cenas de tirar o fôlego, engraçadas pelo sarcasmo ou tiradas...ahh, esses dois foram perfeitos! Um livro muito bom mesmo.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz