28 abril 2016

Resenha: Nildrien: O Pergaminho - Manoel Batista


Edição: 1
Editora: Talentos da Literatura - Novo Século
ISBN: ISBN9788542806434
Ano: 2015
Páginas: 588
Compre: Saraiva / Amazon / Submarino

Livro cedido pelo autor para resenha

Sinopse: Em um mundo de fantasia medieval, o despertar de uma poderosa energia em uma caverna milenar e remota faz com que os mais poderosos reinos de Nildrien se mobilizem para conseguir o artefato portador do poder: um antigo pergaminho criado pelo maior de todos os magos, contendo feitiços capazes de afetar o equilíbrio mundial. Sem poder enviar seus mais experientes e poderosos membros, resta às forças de reinos aliados formarem um grupo de jovens aventureiros para enviá-los ao maior desafio de suas vidas: uma aventura entre guerreiros, magos e monstros que dividem um cenário onde o fantástico e a magia se mostram mais presentes do que nunca. Uma jornada que mudará para sempre a vida desses jovens, repleta de drama, ação e humor.



Quando recebi a proposta do autor para resenhar este livro, me preparei para qualquer coisa que viesse dele, mas confesso que, mesmo preparada, fui surpreendida facilmente pela obra. Nildrien: O Pergaminho, é um livro complexo, cheio de detalhes que fará até mesmo o leitor mais revoltado, embarcar em uma aventura única e cheia de ação!
"Feiticeiros eram praticamente iguais aos magos, exceto pelo fato de não precisarem recitar magia ou estudá-la com o mesmo afinco que um mago. Um feiticeiro pode ganhar poder através do tempo, simplesmente despertando ou sendo despertado."
A história já começa com uma revelação: um poderoso pergaminho foi desperto e agora, toda Nildrien está em pavorosa. Os reinos deste país enviam seus guerreiros menos valorosos para obter esse pergaminho que à muito, foi escondido por um poderoso mago na Caverna Antiga. Poucos sabem a verdade, muitos tentarão chegar o mais próximo possível desse prêmio cobiçado.


O livro possui muitos personagens, por isso, fica impossível dar destaque somente a um. Todos os personagens são importantes para a trama e nas primeiras 100 páginas, somos apresentados a eles um por um, o que nos deu uma vasta ideia de quem são, o que querem e como podem ser ativos durante a aventura que se inicia. 
Nildrien é um país com muitos reinos, uma fantasia medieval com vários seres que despertarão a curiosidade do leitor e nos deixará apreensivos pelo desfecho. Mesmo com as mais de 500 páginas, a leitura é gostosa e o enredo ajuda muito, pois em todos os capítulos, temos um ápice que não nos deixa parar a leitura.
"Alguns corajosos olhavam a Floresta das Sombras à frente e sua entrada de mata fechada e podiam jurar ver movimentos de seres estranhos à espreita, só aguardando suas vítimas adentrarem o território para atacá-las ferozmente. Outros juravam que ouviam gemidos de dor e urros de alguma criatura raivosa que saía de dentro das árvores enegrecidas, trazidos pelo vento."
A narrativa é em terceira pessoa, acompanha todos os personagens dando foco à suas jornadas para a Caverna Antiga. O autor tomou todo um cuidado para apresentar cada reino ao leitor e nos deixar desejosos de conhecer cada personagem profundamente. Também devo ressaltar que a ideia do autor de colocar tantos personagens diferentes entre si com um mesmo objetivo, foi espetacular! Podemos diferenciar aqueles que pensam com o coração e aqueles que preferem esquecer que tem um. 
Apesar da narrativa ser boa, fiquei desejosa de menos explicações: Durante toda a leitura, o autor descreve tudo minuciosamente, isso acabou deixando a leitura um pouco enfadonha para mim, mas somente nas partes onde não há ação. 


Os seres sobrenaturais existentes na trama são incríveis! Temos personagens regidos por seus deuses, meio demônio, elfos, guerreiros do fogo, guerreiros da luz, paladino da justiça, meio dragão, clérigos do amor e muitos outros que deixarão o leitor atento a tudo, para enfim, descobrir seus poderes. 
Também gostei muito do autor deixar exposto que nem todo ser da luz é bom, e nem todo ser das trevas é mau. Isso deixou a história cheia de reviravoltas e muito mais curiosa de se ler.
"Reks voltou a olhar o mapa e refizera seus cálculos. Percebera que não ter parado para descansar havia sido, claro, um esforço muito grande, porém útil ao grupo. E,  após todas aquelas horas caminhando, aproximavam-se cada vez mais do destino final do mapa, que, se os deuses permitissem, seria o pergaminho."
Infelizmente, tem alguns pontos que me decepcionaram, como a revisão por exemplo: os erros aparecem mais nas últimas 300 páginas, o que não prejudicou minha leitura, mas mesmo assim, espero que no próximo livro, essa questão seja sanada. A diagramação é simples, mas bem feita: o livro possui folhas amarelas e letras em tamanho confortável para a leitura. Os capítulos são separados por números, o que gosto muito, pois assim não nos dá nenhum spoiler do que está por vim.


Por fim, agradeço ao autor pelo oportunidade de ler essa obra maravilhosa e claro que indico. Aguardo a continuação ansiosamente. Fiquei bem surpresa com o final e espero que o autor continue nessa pegada: adoro livros de fantasia pois nos levam para lugares nunca antes imaginados, também dá liberdade para o autor inovar e criar cenários maravilhosos e criaturas impressionantes. Isso é o que vocês vão encontrar aqui. Super Recomendo!


Avaliação:


Sobre o autor: 




Manoel Batista é um escritor e roteirista natural de Santos (SP). Desde a infância sempre foi um aficionado por enredos de fantasia e ficção, desenvolvendo suas histórias e personagens. Apresentado aos fantásticos cenários de RPG, buscou inspiração e viu a oportunidade de dar vida a seus mundos, personagens e tramas. Cursou História e teve diversos empregos, mas encontrou na escrita e na narração de histórias sua verdadeira e definitiva paixão. Autor de Nildrien - O Pergaminho.







2 comentários:

  1. Oi Ana...

    Sou muito fã de livros de fantasia, e ja amei esse sem nem ler, gostei do senario criado pelo autor, a narrativa me parece ser muito boa, gosto de ter livros com muitos personagens e gosto ainda mais quando o autor toma cuidado em explicar ao leitor quem é quem sem tornar a estória cansativa.
    Gostei bastante da resenha, irei da uma chance a esse livro com certeza.
    Bom Dia.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ana.
    A premissa do livro não me pareceu tão original; já li alguns livros com uma proposta parecida. Mas acredito que, futuramente, daria uma chance à obra para analisar como o autor desenvolveu o enredo.
    Esse problema com revisão incomoda mesmo. =/

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de abril. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz