08 agosto 2016

Resenha: Eu Te Odeio! - Corey Taylor


Edição: 1
Editora: Planeta
ISBN: 9788542206944
Ano: 2016
Páginas: 224


Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Mascarado, Corey Taylor arrasta multidões cantando músicas aterrorizantes com o Slipknot. Ele tem muito mais a dizer e não será nada delicado!Eu te odeio! é uma crítica direta, sem meias palavras, ao mundo moderno e a tudo aquilo que consideramos comum. Responsável pela condução de uma banda onde os integrantes vestem máscaras típicas de um filme de terror, Taylor faz uma avaliação devastadora, e ao mesmo tempo engraçada, sobre a sociedade atual, alfinetando os padrões de comportamento humano a partir de histórias reais vivenciadas por ele. Trabalho, escolas, educação dos filhos, a preocupação com o planeta, programas de televisão, bebida, drogas, reuniões de famílias e outras práticas do cotidiano são ridicularizadas pelo vocalista. Não se engane: o autor deste livro não é o Corey Taylor sem máscara, normalmente educado. Também não é o profissional que se preocupa com os fãs e os atende educadamente. Este é o nº 8! É aquele mascarado que canta músicas infernais no Slipknot. E ele está sem limites! Engraçado, profano, blasfemo e, acima de tudo, verdadeiro, Eu te odeio! é a pior versão de Corey Taylor e expõe o que há de mais insano e ridículo na sociedade moderna.


"A diferença entre estupidez e genialidade é que a genialidade tem seus limites" - Albert Einstein
Ok! Se você gosta de como o mundo está, dirige bêbado, gasta dinheiro com qualquer coisa "nova" que é lançada, se veste combinando, gosta das músicas do Bieber, gosta de reality shows... esse livro não é para vc. Por favor, pare de ler essa resenha aqui. Pois você corre o risco de odiar o autor e ainda mais a mim, pois concordo com o mesmo e, - finalmente! - encontrei alguém que me entende! ;)
Para quem não sabe, Corey Taylor é vocalista da banda Slipknot, uma banda de Heavy Metal que faz muito sucesso não só em seu país de origem, como também no mundo todo. Quando ouvi a voz de Taylor pela primeira vez, me apaixonei e desde então, não consigo mais deixar de ouvi-los.
Quando a Planeta informou que lançaria este livro aqui, fiquei doida. Gente, como eu poderia deixar de ler um livro dele? Impossível neh? Ainda mais com essa sinopse que promete críticas sobre tudo o que nós, brasileiros, mais gostamos.
"Não estive em todos os lugares, mas estive em lugares suficientes para saber que o planeta em bolsões de estupidez aflorando no norte, no sul, no leste e no oeste, a partir da linha do Equador e do meridiano de Greenwich. A burrice não desaparece com tanta facilidade."
Taylor deixa de ser ele mesmo, também não é #8 - o nome que é conhecido no Slipknot. Taylor invoca o Pescoço: um cara filha da puta e sincero demais; que é nervoso e não admite burrices ao seu redor. Pescoço rasga o verbo e faz crítica de tudo: de si mesmo à tudo que podemos presenciar hoje em dia.
Pescoço fala sobre muitas coisas: moda, reality shows, família, escola, shoppings, música, embriagues e drogas. Também conta pequenas passagens de sua vida e cita até mesmo, pessoas de sua família e amigos. Mas, se você pensa que é para elogiar, está redondamente enganado, caro leitor. Taylor desce a lenha e sem papas na língua, nos descreve porque isso tudo é uma tremenda babaquice.
O que mais gostei no livro é a veracidade com que Taylor expõe os fatos: somos babacas e idiotas sim! Também sou, não nego. Já passei por algumas situações em que pensei: "porra, to fazendo merda, sei que estou..." Mas mesmo assim, lá estava eu! >.<
Com uma narrativa raivosa e com explicações coerentes, o autor nos mostra o porque de sermos tão abestados quando o assunto é os temas do livro. Parece que gostamos de ser idiotas neh? Pois bem, Corey Taylor vai te deixar de boa aberta e, tenho certeza, a próxima vez que vc pensar em fazer, ler, ouvir algo estúpido, pensará duas vezes.
"Você pode se irritar comigo se quiser, mas isso não mudará os fatos. Tudo o que posso fazer é oferecer as evidências. É isso que fazemos. Animais são escravos de suas necessidades e os humenos são escravos de suas vontades."
Este é o segundo livro que leio que algum cantor de rock escreve. O primeiro foi Confie em mim, Eu sou o Dr. Ozzy, e não me decepcionei. Mesmo com todas as cenas hilárias e situações bizarras que foram reais, gosto de saber o que esse ícones fizeram no passado e o que pensam do presente e futuro. Ambos usam uma sinceridade excessiva e conduz o leitor pelas páginas sem que percebamos. Ri demais com Ozzy e também com Taylor. Nos dois livros, fiquei fascinada com tudo o que foi proposto e com os temas abordados.
Corey não deixa de ser um babaca também. Já faz muitas merdas por aí e nos conta durante a leitura. Mas a forma com que ele expõe o porque de odiar tanto essas coisas me pareceu tão acertada que sempre - SEMPRE - me peguei concordando com ele e também adicionando alguns outros critérios que, por ventura, ele tenha esquecido.
Entretanto, sua linguagem é ácida e cheia de palavrões. Corey não escreveu um livro para agradar. Ele quer expor o que o deixa maluco e não se importa com quem não concorde com ele. Durante todo o livro ele explica isso. Se alguém discorda dele, ele taca o foda-se e pronto!
"Não pensem, nem por um segundo, que vou escrever um livro que não tentará fazê-los rir, chorar, dar risadinhas, irritar-se e, o mais importante, pensar. É isso que eu faço. Mesmo que a única coisa que vocês pensem o ler este livro seja que eu sou um tremendo babaca, eu terei sido bem-sucedido. A pior coisa é fazer as pessoas se sentirem insípidas e inertes. Com sorte, ao menos na minha cabeça, esse livro pode ser o equivalente literário de uma bateria de nove volts num par de bolas ou mamilos molhados."
A narrativa é sucinta com alguns devaneios por parte do autor. Mesmo assim, não deixou de ser prazerosa. Terminei o livro em algumas horas depois de começar a lê-lo. Corey consegue ser sério, sarcástico, real e engraçado em suas críticas. Os capítulos são longos, cada um com um tema e um título que tirará risadas dos leitores; e a cada começo, com uma foto que exprimi o que encontraremos a seguir. Fotos dele, devo dizer, algumas bem engraçadas, o que deu um charme a mais para o livro.
A edição da editora está incrível, linda e sem erros aparentes. Gostei muito da obra como um todo e fica quase impossível não indicá-la. Mas veja bem, leia o primeiro capítulo "Antes da Tempestade" antes de comprá-lo. Se você, em algum momento, discordar de algo, pare aí mesmo. Continue sendo um babaca se assim você prefere. Esse livro não foi feito para você. ;)
"Eu era obrigado a me afastar dos meus amigos quando faziam perguntas às quais sabiam muito bem que eu responderia com sinceridade. Existe muita verdade nisso, entende? Tenho um amigo cuja a filha tem um rosto muito rígido, como se tivesse sido esticado. Se eu fosse forçado a testemunhar em um tribunal, juraria que a criança é parecida com um personagem muito famoso da série Harry Potter. Ela me perguntou se eu a achava bonita. Eu não sabia o que fazer, então usei uma simples série de movimentos que apelidei de "Comprometimento não ofensivo". Quando vocês se encontrarem numa situação delicada, tentem usar essa merda para se safar."


Avaliação:



Sobre o autor:







Corey Taylor é um compositor, escritor e vocalista das bandas Stone Sour e Slipknot. Na banda Slipknot, Corey é #8. É conhecido por ter uma voz extremamente rouca,grave e agressiva.







6 comentários:

  1. Eu tinha uma época que ouvia bastante Slipknot e confesso que fiquei muito curiosa para ler o seu livro.

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Nossa, que livro diferente. Não conhecia, parece ser bem radical. Deixo passar essa dica, com certeza não é uma leitura que me chame a atenção. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ana.
    Gosto demais desses livros cheios de artigos fortes, com opiniões ácidas. Como sou chato e odeio meio milhões de coisas, sempre me identifico. haha
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  4. O livro entrou para a minha lista de desejados no momento que vi quem era o autor. Ainda parei e li o nome duas vezes pra ter certeza.
    Slipknot é minha banda de rock favorita e Corey um dos membros que eu mais admiro. E me sinto envergonhada por descobrir a existência desse livro so agora.
    Assim como a maioria das letras de músicas de rock, esse livro vem recheado de criticas a sociedade e a forma como vivemos e isso foi o que mais me animou a ler o livro.
    Não ligo pra linguagem ácida e cheia de palavrões, acho que ate gosto do fato. Então essa será uma leitura que me agradará.

    ResponderExcluir
  5. Não sou chegada a rock então não conheço a voz do autor, mas o livro parece ser interessante, onde tem muitas coisas que realmente fazemos e são coisas sem sentido, acho que a leitura deve abrir nossos olhos. Essa fotos devem ser bem engraçadas mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Que legal esse livro, não conheço bem a banda, mas curto muito rock, e gosto de livros de rockeiros, sempre tem muita coisa doida, mas também assuntos muito inteligentes e revolucionários que amo!
    Vou querer ler!
    bjs

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz