07 agosto 2016

Resenha: O Despertar - Janice Ghisleri

Edição: 1
Editora: Planeta Literário - PL
ISBN: 9788568292198
Autor: Janice Ghisleri
Serie: Os Lobos de Ester – Livro 2
Ano: 2016
Páginas: 388
Adicione ao "Skoob"

Sinopse:
Erick, o beta da alcateia dos lobos, era o mediador e braço direito do alfa. Belíssimo e bem-humorado, sempre manteve todos unidos e pacíficos, mesmo quando ele próprio quase perdeu sua prudência, enquanto esteve preso nos laboratórios.
Ele acreditava que, se pedisse aos antigos deuses, seria libertado e presenteado com a sua companheira de alma, como profetizava a lenda.
Então, ele foi libertado e, um dia, ela apareceu.
Enquanto isso, Kira era uma jovem doce e solitária, que vivia reclusa em seu mundo, tentando sobreviver com sua arte e sua cegueira.
Ela possuía um segredo que poderia fazer com que Erick, o queridinho da alcateia, já não fosse tão bem-vindo entre os seus. E pior, que além de banidos, eles poderiam ser caçados e mortos pelos lobos.
Nenhum dos dois era o que imaginavam, e quando os segredos são descobertos, trazem à tona a verdade sobre seus ancestrais.
Para proteger sua companheira, Erick mostraria que não seria nada pacífico.
"O Despertar" é o segundo livro da serie Os Lobos de Ester, precedido por "A Herdeira". Para conferir a resenha já publicada aqui no blog, é só clicar no titulo.


Resenha:

“O despertar” é a continuação de “A Herdeira” e a trama continua praticamente do mesmo ponto, com pouca passagem de tempo entre um e outro.
No primeiro volume conhecemos a historia de Ester e Noah, os alfas da alcateia, e conhecemos apenas “de vista” Erick, o beta, um homem centrado e pacifico e também um lobo sofrido, com um passado desolador.  Em o “O despertar” vamos descobrir mais sobre ele, sobre o seu passado, e principalmente sobre qual forma o seu futuro vai tomar.

Tudo começa quando Erick acidentalmente atropela Kira, quando ela sai descontrolada da mata para o meio de uma rua deserta da Grécia.
O problema é que Kira é uma garota cega, que Erick descobre estar sendo perseguida por homens lobos, como ele.
Ele encaminha Kira para um hospital, mas quando pousa os olhos da adorável e frágil garota ele logo descobre que ela é a sua companheira de alma, seu par, sua alma gémea. Seu lado lobo logo detecta essa conexão entre ele e a humana, apesar das diferenças.
A cada instante que passa ao lado dela, o desejo de cuidar e proteger aumenta. Ele não se importa com a sua deficiência e Kira, uma garota acostumada ao isolamento, que perdeu a família, começa a desconfiar da boa intenção de Erick, ao mesmo tempo em que se torna cada dia mais e mais dependente de seus cuidados.
Mas existe um grande problema: Kira morre de medo de lobos. Ela foi condicionada desde de pequena pela mãe e avo a temer os lobos, animais selvagens e cruéis. E este medo só se intensifica com o ataque que sofreu na mata próxima a sua casa, no dia em que foi atropelada. Mas Erick é parte lobo, ele é um shifter, um homem capaz de alternar entre a forma humana e lupina quando desejar.
Por isso, enquanto tenta fazer com ela perca o medo,  Erick também descobre que pode não ser o único homem lobo ligado a Kira e que talvez nem ela mesmo seja só apenas uma humana deficiente e solitária.
"- Não se importa de ela ser cega, Erick?Erick olhou para Petrus.- Não, isso não me incomoda. Só o fato de saber o quanto pode ser difícil pra ela. Mas pensando... eu gostaria que ela me visse. Sabe, que visse como me pareço. Petrus bufou.- Coitada, ia ficar cega novamente por ver sua feiura."
Durante a leitura do primeiro livro da serie eu tive algumas ressalvas, alguns pontos que não me agradaram completamente, mas mesmo assim eu continuei, e olha, não arrependo. Infelizmente ainda tem alguns pontos que me decepcionou, mas é visível o amadurecimento da trama e da escrita da autora.
O Erick, como ficou claro no livro anterior, é o diplomata, aquele que apazígua a alcateia, o que prefere usar o cérebro ao invés dos punhos.  Então, foi super interessante ver ele em outra situação, enfrentando seus próprios demônios e deus e o mundo para ficar com a mulher que ama.
A Kira é que foi um personagem inicialmente bastante irritante e instável. Eu vive momentos de amor e ódio por ela durante toda a leitura. Ela muito cedo perdeu a visão e aos poucos, perdeu todos os parentes que lhe restavam, precisando se adaptar as suas limitações para seguir com sua vida. Também foi magoada por um cara, alguém que ela entregou o seu amor e sua virgindade, e que era apenas um aproveitador. Por esses motivos, relevamos os momentos de indecisão e medo dela, e até mesmo a baixa alto estima, apesar de ser um pouco irritante a quantidade de vezes em que ela se subestima.
Outro ponto que me incomodou é a velocidade que eles desenvolvem um relacionamento e o estabelecem. Simplesmente Erick a atropela, presta socorro e quando ela retorna pra casa, é informada por ele de que agora são companheiros e tem um relacionamento. Simples assim, chega a ser risível, considerando toda a bagagem emocional que a autora pré estabelece para Kira. Em menos de uma semana o casal esta fazendo juras de amor eterno.

Kira e Erick são aquele tipo de casal irritantemente meloso, daquele tipo açucarado que depois de ler um ou dois parágrafos da vontade de escovar os dentes, sabe, pra evitar caries.Eu perdi as contas de quantas vezes no mesmo capitulo (as vezes ate na mesma pagina) ele a chama de “minha companheira”. E ao longo da leitura você percebe que é a maior perda de tempo. Não que o romance seja ruim ou mal desenvolvido, pelo contrario, as cenas de sexo e as eróticas são muito bem escritas, detalhadas o suficiente para se tornarem extremamente sexy, mas ao mesmo tempo com cuidado, para não se tornar vulgar. Mas a trama é mais do que isso, fica claro, e isso aconteceu com o primeiro volume também, a autora gasta tanto tempo descrevendo as relações deles, bem mais da metade do livro, sempre mantendo o foco no romance. Mas neste livro, no final, nos últimos capítulos, ela nos brinda com algo totalmente inusitado, realmente de tirar o folego. Eu não posso falar muito, pois se não estraga a surpresa, mas a autora vai nos trazer uma visão totalmente inusitada e inovadora sobre as lendas dos lobos e das bruxas, mas de uma forma pouco desenvolvida. Então, quando você conclui a leitura, que é um livro de quase 400 paginas, fica pensando por que raios ela não balanceou o romance e ação, É só isso que fica faltando para que o livro se torna uma obra perfeita.

Como eu já falei, escrita da autora evoluiu significativamente de um livro para o outro, o amadurecimento fica claro ao longo livro, com uma trama mais coesa e elaborada. Ela ousa mais em “O Despertar” e quase acertou em cheio. Em todo caso, eu ainda não perdi a esperança de ver a lenda dos lobos e bruxas melhor trabalhada, afinal, durante a leitura vamos ter a introdução de alguns outros possíveis protagonistas para os próximos livros. Esses ganchos deixam a ponta solta para os próximos romances, mas nada especifico para o quesito magia, por isso, estou bem ansiosa para ler “Quando os Lobos Choram”, que é a continuação focada em Kirian e Jessy e seus respectivos pares.

A narrativa é feita em terceira pessoa, alternando o ponto de vista entre o casal de protagonista, nos proporcionando um conhecimento detalhado sobre os sentimento de ambos.

O livro físico é lindo, a diagramação é maravilhosa, os capítulos são divididos com imagens de lobos e com um efeito degrade na pagina. O capista da Planeta editorial também está de parabéns, ambas as capas até agora são de tirar o fôlego. No entanto, a revisão deixou a desejar bastante, existe vários erros, principalmente de concordância verbal e a mesma palavra repetida varias vezes no paragrafo.O que é uma pena, em momentos dificulta a compreensão .

Em fim, é uma serie muito boa, que vai agradar o pessoal que curte um bom romance sobrenatural e suspense. Mas se você, assim como eu, está pensando em iniciar a leitura focado apenas na pegada sobrenatural, eu aconselho a ir com calma, pois o foco em grande parte do livro é o romance. No mais, é só se jogar, pois é garantia de boa leitura.
"A profecia do oraculo estava certa, a companheira do lobo real jamais poderia ser separada dele, não importando o quanto o tempo passasse, pois um dia despertaria de seus feitiços  e estariam unidos. Porque nenhum vinculo era mais verdadeiro e forte do que  o laço dos companheiros de alma."
Sobre o autor:

Janice Ghisleri é catarinense, estilista e pós-graduada em Comunicação e Artes visuais. Sempre foi apaixonada por livro de romance e filmes. Por isso, a linha literária dos seus livros são os romances de época e fantasia. Alem da serie Os Lobos de Ester, seus outros livros publicados são  Entre o Amor e a Fé - A Profecia, e a saga Paixões no Oeste, com quatro livros.

7 comentários:

  1. Apesar de ser fã de fantasias, não consegui me interessar por esta série.
    Achei interessante a autora colocar licantropes no enredo da obra como seus protagonistas, afinal são poucos os livros que vemos por aí com estes seres.
    Gostei da sua resenha, mas não é uma série que eu pretendo ler.

    ResponderExcluir
  2. Oi Geeh... eu gosto muito de romance sobrenatural, mas sinceramente esse não me chama muito atenção, pelo simples fato do romance acontecer de maneira rápida demais... eu me irrito com esse correria e perco até a vontade de continuar lendo... bom mas em se tratando de sobrenatural, podemos relevar se toda a estrutura da história for bem desenvolvida... mas enfim... não me senti muito cativada em ler... mas adorei a capas, aliás, fui curiar a capa do primeiro livro também e é linda!! Xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu não conhecia esses livros e fico feliz que o blog sempre traz livros nacionais para a gente conferir.

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Muito boa sua resenha, fiquei curiosa para conhecer melhor essa história. Não conhecia esse livro e nem o anterior, mas a premissa parece ser bem interessante. Gosto desse gênero e se tiver oportunidade, quero ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Geeh.
    Romance sobrenatural não é muito a minha praia, mas a premissa dessa série até que é interessante. Ademais, o desenvolvimento parece ter sido bem feito. Então, certamente daria uma chance.
    Ótima resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  6. Adoro historias sobrenaturais, pena que o romance é meloso, não gosto. Fiquei curiosa com essa lenda diferente em relação aos lobos e bruxas, aguçou minha curiosidade em saber o que é rsrs. Ah e gosto de romances que surgem naturalmente sem pressa.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro, mas adorei!
    Que bacana! Acho máximo livros com lobos ou vampiros, e esse parece ser bem legal, com romance, e toques sobrenaturais.
    Mais um que vai pra minha listinha!
    bjsss

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz