06 março 2017

Resenha: Cidade Banida - Ricardo Ragazzo


Edição: 1
Editora: Planeta
ISBN: 9788542205411
Ano: 2015
Páginas: 384


Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: No futuro, a Terra foi assolada por inúmeras guerras, o que dizimou 99% da população humana e transformou sua vida animal e vegetal. Boa parte dos seres humanos acabou confinada dentro dos muros de Prima Capitale, regida pelas draconianas regras do Supremo Decano. Por causa da rigidez do governo, todos os bebês nascidos no lugar precisam passar pelo crivo dos chamados cognitos, seres com poderes psíquicos capazes de prever o futuro. Caso, nesta visão, seja revelado que o novo cidadão cometerá um crime, sua sentença é a morte. Seppi Devone foi um desses bebês vetados. No entanto, sua mãe, Appia, consegue fugir com ela, livrando-a da cruel sentença. Elas vivem incógnitas numa comunidade no meio da mata e Appia cria sua filha como um garoto. Mas, quando Seppi completa 15 anos, o destino bate à sua porta e a garota terá de enfrentá-lo. Afinal, a adolescente é a única esperança que muitos oprimidos têm de se livrar do mal a que são submetidos pelo Supremo Decano. Irá ela abraçar essa sua missão?



Cidade Banida conta a história de Seppi Devone, que foi vetada De Prima Capitale quando era um bebê, no momento em que seus pais tiveram que decidir entre salvá-la ou deixá-la para morrer, sua mãe escolhe salvar sua filha, indo contra seu marido, que já havia decidido o destino da filha.
“Jonas não disse nada. Seguiu até a porta, colocando a mão sobre a caixa que continha dois botões sinalizando o final da sessão. Appia sabia que o marido já tinha se decidido, e o pior de tudo, ele havia tomado a decisão errada.”
Com uma ajuda inesperada Appia consegue fugir com Seppi e passam a viver escondidas em uma floresta, até seus 15 anos, quando elas são descobertas, e chega o momento de Seppi encarar seu destino. A partir desse momento, Seppi começa a descobrir aos poucos quem realmente ela é o que representa para o mundo.Começa a descobrir também, que fora enganada por tanto tempo, quando percebe que todos em quem confiava, conheciam sua história, exceto ela mesma. Um sentimento de tristeza, misturado ao medo de perder a mãe, e um novo sentimento que surge com a chegada de um jovem chamado Lamar.
Muita aventura, batalhas que me prenderam pela riqueza de detalhes; a cada batalha eu me pegava imaginando os personagens descritos pelo autor; que teve a ideia de oferecer no início do livro um glossário (com belas ilustrações) com os personagens, animais e plantas; ao qual eu consultei algumas vezes. A história é narrada quase toda em primeira pessoa, pela própria Seppi.
“Lamar surgiu do nada, dentro de um enorme balde de madeira preso a uma corda aparentemente resistente. Ele desceu no nosso andar e, na sequência, deu dois longos puxões na corda, fazendo o balde, agora vazio, subir. Sorriu para Lália, que se curvou m reverencia e um tanto encabulado. Era nítido que ela sentia atração pelo filho do homem que me salvara quando criança.
E, para falar a verdade, eu também ...”
Em alguns momentos a história, se torna um pouco maçante, com muitas explicações, que ao meu ver não eram necessárias, mas nada que tenha atrapalhado a leitura. No início do livro os capítulos são longos, contando com as quebras de linha para uma pausa, ao contrário do final que conta com capítulos curtíssimos.

A capa é linda com a letras em relevo, a personagem Seppi em primeiro plano com imagens ao fundo que nos remetem bem a história. As páginas são amarelas, bem encorpadas, e letras de tamanho confortável para leitura.
“A besta grunhiu com raiva, batendo no chão o enorme martelo de ferro que carregava em uma das mãos. Meu corpo foi jogado centímetros para trás com a força do impacto. O homem havia o chamado de Oni, mas eu o batizei de Terremoto Nômade.”
No geral, eu tenho que recomendar esse livro, gostei realmente da história. E sabe aquela reviravolta final que te deixa verde de raiva por não saber o que vem em seguida? É bem assim o final dessa história, ou recomeço, como o autor mesmo descreve. Espero que realmente tenha uma continuação, pois com certeza vou ler.











Avaliação: 


Sobre o autor: 






O Paulistano Ricardo Ragazzo é bacharel em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e descobriu seu talento de escritor com a ajuda do universo dos RPG's. É autor dos livros "Cidade Banida" (Romance distópico pela Planeta de Livros) e "72 horas para morrer" e "A Garota das Cicatrizes de Fogo" (pela Novo Século editora). Ele mora com a mulher os filhos e seu beagle em São Paulo.









2 comentários:

  1. Não conhecia esse livro ainda, mas tudo nele me chamou a atenção, capa, título, sinopse e a sua resenha. Me apaixonei de verdade por este enredo, quero muito ler, inclusive o adicionei na minha lista de desejados.
    Curiosa para saber o que ela terá que enfrentar e mais curiosa com esse desfecho que tu disse que terá.

    ResponderExcluir
  2. Bel!
    Tenho a maior vontade de ler esse livro, já li um outro do autor e gostei muito.
    Como gosto de detalhes e grandes reviravoltas, sei que vou amar fazer essa leitura.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz