10


Resenha: O Ceifador (Scythe #1) - Neal Shusterman


Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788555340352
Ano: 2017
Páginas: 448
Tradutor: Guilherme Miranda


Livro prova cedido em parceria com a editora
Sinopse: A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.


Se vocês ainda não leram a sinopse deste livro, leiam. Não vou falar muito sobre a trama para não dar spoilers desnecessários, só recomendo que vocês leiam a sinopse para entender sobre o que estou falando.

O Ceifador é um livro complexo e dúbio. Ele está categorizado como distopia, mas, enquanto eu o lia, também pensei na utopia que ele trás: Imagine um mundo onde nosso único problema é o crescimento populacional. Sim, doenças não existe mais. Os governos caíram por terra e quem nos abastece e nos dá todas as informações necessárias é uma Inteligência Artificial chamada Nimbo-Cúmulo.
Nesse futuro, os Ceifadores, que são uma espécie de nata da sociedade, são a única maneira de manter o planeta com o número certo de habitantes, pois vencemos a morte e a idade. Podemos rejuvenescer e viver por mais de 200 anos se assim for desejado. Se você não for escolhido para a Ceifa e, por acaso, sofrer um acidente, a Nimbo-Cúmulo tem a tecnologia para revivê-lo.
"Prevejo o dia em que os novos ceifadores serão escolhidos não por causa de alguma moralidade esotérica, mas porque gostam de tirar vidas. Afinal, este é um mundo perfeito - e, num mundo perfeito, não devemos todos ter o direito de amar o que fazemos?"
Neste contexto, conhecemos Citra e Rowan, dois adolescentes que são escolhidos pelo Ceifador Faraday para serem seus discípulos. Apesar de ambos terem sido escolhidos, somente um será eleito para carregar o anel e a honra de ser um Ceifador.
Citra é uma garota maravilhosa! Cresceu em uma família que a ama, é muito inteligente e sincera. Tem um temperamento um tanto hostil, mas seu coração é bom e suas atitudes, coerentes.
Rowan é um alface, como ele mesmo diz. Vindo de uma família enorme, Rowan nunca teve atenção dos pais. É um bom garoto, inteligente e também tem bom coração.

Os dois são escolhidos por Faraday por serem quem são. Citra e Rowan não querem a principio, mas ambos sabem que são capazes de passar no teste e, o que começa como uma simples competição, pode acabar colocando suas vidas em risco.
"Jogos de poder podiam ser coisa do passado em outros âmbitos, mas ainda estavam muito vivos na Ceifa."
Juro que eu quero contar tantas outras coisas deste livro para vocês, mas não posso! *-*
Eu estou completamente apaixonada por este enredo, pelos personagens, pela trama, pela narrativa do autor, por tudo!
Este é o primeiro livro que leio do autor e tenho que confessar: que ótimo começo! Apesar de possuir personagens adolescentes, o que ultimamente me faz virar os olhos, em momento nenhum a narrativa ficou enfadonha ou arrastada.

A ideia de construir um enredo que nos faça ficar admirados com o quando o mundo evoluiu e ao mesmo tempo dar um tapa na nossa cara e dizer: "acorda! Nada é perfeito!" foi incrível! Durante minha leitura, por diversas vezes parei para pensar sobre o que lia e sempre me surpreendia. Neal sabe escrever uma história e deixar o leitor ávido para saber mais. A cada momento que eu tinha uma pergunta para alguma questão, encontrava-a na página ou capítulo seguinte.
Como este é o primeiro livro de uma série, encontraremos muitas explicações e relatos de alguns Ceifadores explicando como o mundo está.
"Ele me lembra que, apesar dos ideais grandiosos e das muitas defesas para proteger a Ceifa da corrupção e perversão, devemos estar sempre atentos, pois o poder vem infectado com a única doença que nos resta: a natureza humana. Temo por todos nós se os ceifadores começarem a amar o que fazem."
A narrativa é em terceira pessoa e acompanha, principalmente, Rowan e Citra. Também conhecemos alguns outros personagens importantes para a trama, o que nos dá muito o que pensar sobre cada um.
Como sempre, a Seguinte arrasou na edição. Recebi a prova antecipada e depois, no evento da Companhia das Letras, ganhei a versão final, e o livro está lindo! A capa condiz com o enredo, as letras estão em tamanho confortável para a leitura e não encontrei nenhum erro de revisão!

Do mais, só posso dizer para vocês comprarem logo o seu exemplar e aproveitar essa leitura que tem muito a oferecer e ensinar.


Avaliação: 


Sobre o autor: 







Neal Shusterman é um premiado novelista, roteirista e escritor de televisão. Atualmente vive no sul da Califórnia com seus quatro filhos.





10 comentários:

  1. Ana!
    Adorei ver uma distopia que cria a esperança de um mundo perfeito no futuro, onde não haverá doença, fome e as pessoas podem se regenerar ou ressucitar, como queira. Fiquei apenas me questionando onde está o objetivo para o futuro se tudo é perfeito? E aí o livro fica bom, porque traz a figura do Ceifadorr, mostrando que sim, alguns podem morrer.
    Gostaria de ler.
    Bom final de semana!
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  2. Desde que vi esse livro fiquei interessada achei diferente, só fiquei me questionando em qual é o critério do ceifador para escolher suas vítimas, pois esse é o grande problema de uma humanidade assim o excesso de população. Seria uma maravilha se fosse assim na vida real,sem fome sem, doenças mas e quanto ao excesso de pessoas hein, como ficaria. E concordo com os personagens em não querer ser Ceifador nem eu iria querer rsrs.

    ResponderExcluir
  3. Oi Miga, o Neal é o meu queridinho, sou completamente apaixonada pela escrita dele e pelos enredos que ele cria, quando vi o lançamento deste livro fiquei louca, porque o desejei e não vejo a hora dele chegar para eu ler... Ele escreveu a série Fragmentados lançados pela Novo Conceito, recentemente li o segundo livro Desintegrados e me apaixonei mais... gente que homem é esse. Só pela sua premissa eu fiquei mais curiosa ainda para ler. Xero!

    minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sua resenha me deixou ainda mais animada para ler esse livro.
    Fiquei pra lá de curiosa para saber tudo sobre os dois adolescentes escolhidos e desfecho da história dos dois!
    A premissa do livro é super interessante e o enredo parece ser incrível.
    Uma história completa, com personagens bem desenvolvidos e a trama em si bem construída...
    Gosto bastante do gênero e espero conferir em breve essa obra.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana.
    Você me deixou muito curiosa para ler esse livro, confesso que o fato de não poder falar muito sobre a obra foi um dos grandes fatores, eu adoro esse mundo de distopia e o fato de que eles são ceifadores é incrível, não vejo a hora de mergulhar nesse universo e me deliciar com o que o autor tem a nos apresentar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Sinceramente não sabia muito a respeito desse livro.Mas sua ótima resenha, me deixou bem motivada a conhecer mais da obra. Todo esse mistério e esse enredo tão diferente, só podem prender a atenção da leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, em meio a tantas distopias clichês, é maravilhoso encontrar um livro tão original, que aborda um tema peculiar e nos traz reflexões sobre como seria o mundo sem seus problemas atuais. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. eu li o primeiro livro da outra série do Shusterman e simplesmente me apaixonei
    esse livro eu achei super original, eu adoro distopias, mas estava cansada q todos eram variação do mesmo tema. esse já vem com uma premissa interessante: ser a morte
    espero poder ler em breve

    ResponderExcluir
  9. Oi, li algumas resenha positivas sobre o ceifador e a cada uma que eu leio uma resenha mas vontade eu sinto. Adorei a sua resenha e tudo o que escreveu só me fez ter ainda mais certeza que eu preciso ler.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana!!
    Adorei a resenha, fiquei bem curiosa para conhecer mais sobre essa história distópica maravilhosa!! Gostaria muito de ler um livro tão diferente e tão legal como esse!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png