7


Resenha: Mau Começo - Lemony Snicket


Edição: 2
Editora: Seguinte
ISBN: 9788535919721
Autor: Lemony Snicket (pseudônimo de Daniel Handler)
Ilustração: Brett Helquist
Serie: Desventuras em Serie - Livro 1
Titulo original: The Bad Beginning
Ano: 2016
Páginas: 152
Tradutor: Carlos Sussekind
Adicione ao "Skoob"

Sinopse:
Mau Começo é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Klaus, Sunny e Violet, são encantadores e inteligentes, mas ocupam o primeiro lugar na classificação das pessoas mais infelizes do mundo. De fato, a infelicidade segue os seus passos desde a primeira página, quando eles estão na praia e recebem uma trágica notícia. Esses ímãs que atraem desgraças terão de enfrentar, por exemplo, um gosmento vilão dominado pela cobiça, um incêndio calamitoso, roupas que pinicam o corpo e mingau frio no café da manhã. É por isso que, logo na quarta capa, Snicket avisa ao leitor: "Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere".
Resenha:
"Se vocês se interessam por histórias com final feliz, é melhor ler algum outro livro. Vou avisando, porque este é um livro que não tem de jeito nenhum um final feliz, como também não tem de jeito nenhum um começo feliz, e em que os acontecimentos felizes no miolo da história são pouquíssimos."
 “Mau Começo” é um livro que fala por si só. Quem aqui não assistiu ao filme “Desventuras em Serie” estrelado por Jim Carey? Pois então, este é o livro que serviu de base para o filme.
Mas, apesar de fama e proporções do filme, poucas pessoas realmente conhecem a obra. O que é uma pena. O filme, apesar de bastante parecido com o livro, não chega nem perto do que é a verdadeira historia, e transcorre apenas  sobre os acontecimento de “Mau Começo”, deixando de lado todas as desventuras dos pobres Baudelaire.

Neste primeiro livro o autor nos conta como tudo começou, o inicio da má sorte dos irmãos, que tem como marco o incêndio da casa da família Baudelaire, tragédia que vitimou os pais das crianças, os deixando órfãos e sem onde morar.
Sem parentes próximos, os três acabam aos cuidados do Senhor Poe, uma figura excêntrica que trabalha em um banco e que ficou responsável por ler o testamente dos Baudelaire pais, que por sinal, especifica que no caso da falta deles os filhos devem ser deixados na guarda do parente mais próximo, até que Violet, a irmã mais velha, complete a maior idade e possa administrar a fortuna da família. Só que este é o problema, qual parente mais próximo, já que as crianças nunca ficaram sabendo de nenhum parente de ambos os lados da família.
É então que uma figura ainda mais peculiar entra em cena: Conde Olaf, o parente das crianças mais próximo, geograficamente, descoberto por Senhor Poe.  Mas alguém que eles nunca nem ouviram falar.
Conde Olaf é uma figura extremamente excêntrica, líder de uma trupe de atores teatrais, dono de uma casa destruída, suja e cheia de ratos.
Assim que as crianças colocam os olhos no sujeito já tem a certeza de que as coisas não vão ir bem, já que Olaf é claramente um homem ambicioso e disposto a tudo para colocar as mãos na fortuna dos Baudelaire.
“Não adianta tentar transmitir como foi duro para os sentimentos de Violet, Klaus e Sunny o período que se segui em sua vida. Se alguma vez vocês perderam uma pessoa que tinha grande importância para vocês, então sabem como é que nos sentimos nessas horas, e, se nunca perderam, não dá nem para imaginar.”
“Desventuras em Serie” é uma obra que chama a atenção logo de cara, assim que virei a primeira pagina já me vi hipnotizada pela narrativa do autor, que é extremamente diferenciada. Sim, é narrado em terceira pessoa, pelo visão de um observador, mas esse observador é o autor, ele se identifica como o mesmo, explicando que foi designado para relatar  a trágica trajetória de vida dos desafortunados órfãos, e o mais incrível é que ele interrompe a historia, varias vezes, para dar a sua opinião pessoal sobre o que esta acontecendo. Ele é uma espécie de investigador e a trama é contada como se fosse o dossiê do caso, um relato sobre os fatos,  isso é muito engraçado e extremamente inteligente. Só por essa sagacidade Lemony Snicket se tornou um dos meus autores favoritos.
Outro ponto que me chamou atenção é a falta de sentimentos na narrativa. A vida dos Baudelaire é trágica e isso é um fato, o autor não romantiza ou vitimiza as crianças pelo fato de serem órfãos e estarem passando por uma situação complicada. Fatos são fatos e eles simplesmente os relata, mas também sempre nos mostra como os três acabam superando a situação. A verdade é que um livro trágico acaba se tornando cômico pela forma como a trama é apresentada ao leitor.

Como todo livro voltado para o publico infantil se espera que ensine algo para as crianças, Lemony Snicket tem esse cuidado, e não é aquela lição de moral batida no final, apesar de que o autor deixa claro o poder da amizade e do companheirismo. Ele também teve a odeia genial de expandir o vocabulário de quem lê a obra de uma forma simplesmente fantástica. Ao invés de usar palavras simples e de fácil compreendimento, ele usa as mais rebuscadas e oferece ali mesmo, no parágrafo seguinte o significado dela. São pequenos atos que tornam o livro extremamente instrutivo.

E fora todos esses pontos positivos da trama, também existe a maestria na construção dos personagens. Toda a trama é desenvolvida com poucos personagens, mas todos eles são construídos como personalidade diferenciada e que se mantem ao longo da trama.Mas, o ponto alto fica para o nosso vilão, Conde Olaf, que é aquele tipo malvado trapalhão, mas que ao contrario do padrão atual dos vilões, não deixa espaço para o leitor criar apreço por ele. Conde Olaf é malvado, com todos os itens para ser odiado e nenhum ponto para simpatizar com ele.

Enfim,  é um livro infantil que vai encantar qualquer adulto que o abra. Sem contar na parte gráfica do livro, que é maravilhosa, desde a capa ao miolo, que por sinal, é repleto de ilustrações sobre as passagens do livro.
A única coisa que me deixou um pouco apreensiva é que a serie conta com 13 volumes. Estou com medo por mim, por ter tanto chão pela frente para descobrir se a má sorte das crianças continua, e também pelos pobres  Baudelaire, pois com certeza vão passar por maus bocados ainda durante treze livros.
"De todas as pessoas no mundo com vidas deploráveis – e vocês bem sabem que há um bom número delas -, os jovens Baudelaire ganham o prêmio, expressão aqui usada para significar que eles passaram por mais coisas abomináveis do que qualquer outra pessoa que conheço."
Em janeiro deste ano a Netflix lançou a serie baseada nos livros de Lemony Snicket. A primeira temporada foi baseada nos quatro primeiros volumes, dividindo a historia em 8 episódios(dois episódios para cada livro. diferente do filme, que focou apenas em "Mau Começo" e muito pouco em "A sala dos Repteis")

Para alegria dos fãs a segunda temporada já foi confirmada, e vai nos contar as desventuras vividas pelos irmãos nos próximos cinco livros, totalizando nove já adaptados, o que significa que possivelmente vamos ter mais uma ou duas temporadas para que a historia dos Baudelaire seja finalizada, já que são no total 13 livros.

Eu assisti a serie e só li os dois primeiros livros, mas achei a adaptação impecável. É uma copia fiel dos livros, você sempre sabe o que vai acontecer nas próximas cenas se já leu os respectivos livros dos episódios. É uma sensação maravilhosa para um leitor!






Trailer oficial da serie:




Sobre o autor:


Daniel Handler (nascido em 28 de fevereiro de 1970 em São Francisco) é um escritor e cineasta americano. Ele escreveu os romances The Basic Eight e Watch your Mouth. É casado com Lisa Brown, artista gráfica que conheceu na universidade.
Originalmente, Handler utilizava o codinome Lemony Snicket ao invés do seu próprio nome na lista de correio de diversas organizações de extrema direita que ele pesquisava para escrever um de seus livros. Isso se tornou uma espécie de brincadeira entre os seus amigos, que costumavam pedir pizzas sob o nome. Como Lemony Snicket, Handler escreve uma série de livros chamada Desventuras em Série, sendo que Snicket faz parte de história assim como seus irmãos e a mulher que amava. Atualmente há treze livros lançados da série.

7 comentários:

  1. Tem livros infantis que é a minha cara, sério haha!
    Estou bem curiosa pra ler Desventuras em Serie, parece ser uma história bacana demais, muito bem desenvolvida e que prende o leitor do inicio ao fim.
    Fiquei com receio quanto a quantidade de livros também, mas espero conferir em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Geeh!
    Não li ainda nenhum dos livros da asérie, bem como não assisti a série televisiva, mas já li várias e várias resenhas sobre o sofrimento que os irmãos passam e a perseguição implacável do Conde Olaf para tomar-lhes a herança. Sinônimo de grande maldade e o que me deix feliz é ver que os irmãos são muito unidos e inteligentes e conseguem se salvar, pergunto: até quando?
    Desejo um mês abençoado!
    “Muitas palavras não indicam necessariamente muita sabedoria.” (Tales de Mileto)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Olá, li os 4 primeiros livros justamente para acompanhar a série e realmente a Neflix sabe como fazer uma adaptação. O primeiro até agora é o meu preferido pois ele mostra como crianças podem ser responsáveis e se adaptar a situações extremas. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Quero ler os livros e que bom que a série é fiel, pois to no comecinho da série televisiva. É muito cruel a vida desses irmãos sem ninguém e logo aparece um interesseiro. Deve ser divertida as cenas com o Conde Olaf, mas por outro lado deve ser comovente e revoltante o sofrimento dos irmãos.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Somente assisti o filme original e gostei muito. Mas quero ler os livros, pois tenho certeza de que a riqueza de conteúdo é imensa. Também pretendo assistir a série, mas gostaria de fazer a leitura dos primeiros livros, antes de começar.
    Que bom saber que a série é fiel a história contada nos livros!
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. admito eu só vi o filme e até gostei, mas acabei deixando de lado os livros
    ai veio o lançamento da série do netflix, mais uma vez fiquei curiosa, mas ainda não tive oportunidade de começar a ler essa série
    um amigo meu disse a mesma coisa que a série era bem fiel ao livro
    espero poder dizer a mesma coisa em breve
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi Geeh.
    Eu estou muito curiosa para conferir a série no Netflix entretanto estou relutante em começar a ler a série de livros pois assim como você tem um medo de não ter estômago ou coragem para ler os trezes livros, mas confesso que assistir o filme há muitos anos atrás e amei e não vejo a hora de assistir a série estou com pena das crianças mas ainda assim curiosa.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png