10 junho 2017

Resenha: Coração Ardente - Richelle Mead

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765442
Autor: Richelle Mead
Serie: Bloodlines - Livro 4
Titulo original: The Fiery Heart
Ano: 2014
Páginas: 416
Tradutor: Guilherme Miranda

Sinopse:
No quarto volume da série Bloodlines, enquanto Sydney Sage esconde seu romance ardente com o vampiro Adrian Ivashkov, a ameaça de ser descoberta — e mandada para a terrível reeducação — é maior do que nunca.
Criada desde criança para desprezar os vampiros, a alquimista Sydney Sage acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão. Aos poucos, a garota não só criou laços de amizade com esses seres como acabou se apaixonando por um deles — o irresistível Adrian Ivashkov — e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento proibido adiante, em segredo. Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Sydney precisa guardar seu segredo enquanto tenta fazer com que a caçula perceba como as crenças alquimistas estão equivocadas.
Enquanto isso, Adrian sofre com os fortes efeitos do espírito — um elemento mágico que, ao mesmo tempo em que lhe confere poderes, pode levá-lo à loucura. Sydney é seu maior incentivo para abrir mão desses poderes e buscar uma saúde mental equilibrada, mas Adrian nem consegue imaginar como seria vê-la machucada e não poder fazer nada. Agora, ele precisa escolher entre sua sanidade e a capacidade de ajudar a todos — especialmente aqueles que ama.
"Coração Ardente" é o quarto volume da serie "Bloodlines", precedido por "Laços de Sangue", "O Lirio Dourado" e "O Feitiço Azul". Para ler as resenhas já publicadas aqui no blog, é só clicar nos títulos.


Atenção! Essa resenha pode contes Spoilers do livro anterior.
Resenha:
"O amor é uma chama na escuridão. Um sopro de calor em uma noite de inverno. Uma estrela que te leva para casa."
Como eu falei na resenha do livro passado, “O feitiço Azul” dá uma energia mais rebelde para Sydney, podemos ver que ela está quebrando as barreiras da própria mente, que foi bitolada pelos Alquimistas desde que ela nasceu. Por este motivo, o fato do livro ter pouca ação é relevado, pois a promessa de uma melhorar paira no horizonte, por assim dizer.
Posso afirmar aqui e agora que essa mudança não veio. A trama continua tão estagnada quanto antes, talvez até mais, mas Sydney teve uma mudança bem grande no seu papel de protagonista. Ela assumiu mais riscos e se posicionou de forma mais critica, não mais aquele robô programado pelos Alquimistas.

O final do livro passado foi bastante chocante. O leitor fica sem saber o que esperar, pois quando a coisas estava se encaminhando para, enfim, dar certo, algo totalmente inusitado acontece.
Sydney foi  doutrinada a temer e evitar os vampiros a todo custo, seja ele Moroi, Dampiro ou Strigoi. Vampiros são seres anti-naturais, disseram eles e ponto final. Esse é o lema dos Alquimistas. Mas as convicções de Sydney vem sendo colocadas a prova com muita frequência e aos poucos ela supera esse preconceito enraizado, primeiro se tornando amiga deles e depois nutrindo sentimentos fortíssimos por Adrian, que é um Moroi. Esses laços de amor e amizade passam a valer mais que suas crenças, o que a coloca em constante perigo de ser descoberta pelos Alquimistas e enviada para a reabilitação, um lugar temido por todos na organização, pois ninguém sabe o que realmente acontece com as pessoas que são enviadas para lá, só que voltam como zombies, acatando todo e qualquer comando dos Alquimistas.
Esse é um dos medos de Sydney quando, enfim, assume o seu amor por Adrian. E é também a sua luta ao lado do único homem que conseguiu sair da ordem dos Alquimistas, Marcus, como vimos no livro passado.
Mas tudo se complica quando Zoe, a irmã mais nova de Sydney, é enviada para a cidade como reforço na missão e também para aprender o oficio com a irmã mais velha.
Como Sydney vai conseguir esconder sua pratica de magia, sua luta ao lado de Marcus para a libertação dos Alquimistas, sua amizade com o grupo e seu relacionamento com Adrian da menina que agora vai dormir no mesmo quarto que ela. Alguém disposto a tudo para agradar os Alquimistas e se provar capaz.
"A vida e a morte eram tão próximas, e oscilávamos entre elas. Mas naquela noite, vencemos a morte. Estávamos vivos e o mundo era belo. A vida era bela, e eu me recusava a desperdiçar a minha."
Eu sou suspeita para falar dessa serie, na verdade, eu venho com um pé atrás desde que soube de seu lançamento. Mas, em todo caso, como uma boa fã de Richelle Mead eu venho me apegando a detalhes que me empolguem para seguir na saga de Sydney e Adrian.

Sydney, até o livro passado, era um personagem maçante, com pouco conteúdo e sem o carisma suficiente para realmente assumir o papel de protagonista que lhe era destinado. Já Adrian, um personagem extremamente complexo e carismático estava sendo negligenciado.
“Coração Ardente” corrigiu ambas as situações. Sydney está determinada e agora pensa por si só.  E o maior dos plot, da serie até então, tem haver com Adrian e o seu elemento, o Espirito.

Mas mesmo assim, apesar da introdução de novos personagens, não houve aquele frescor na trama. O enredo continua maçante, a autora destrincha situações sem sentido e passa batido em outros que poderiam acrescentar.

O que realmente me deu animo, e é o que vai me levar a ler o próximo volume, é a reintrodução de personagens de Vampire Academy. Vamos ter de volta Rose, Lisa, Dimitri, Christian, Sonya... Entre vários outros velhos conhecidos dos leitores.

Neste volume também aconteceu uma mudança bem surpreendente na narrativa. Antes a trama era contada apenas pelo ponto de vista de Sydney, mas agora vamos ter capítulos intercalados pelo ponto de vista de Adrian. Algo que eu aprovaria, com toda a certeza nos livros passado, mas nesse, a novidade só somou a longa lista de elementos que tornaram o livro enfadonho.  Porque? Simplesmente pois atualmente Adrian está lidando com as consequências do espírito, tentando se manter sóbrio e lúcido. Isso distorceu a imagem do Adrian sarcástico e charmoso. O personagem perdeu o equilíbrio entre o carisma e a obscuridade, o tornando apenas melancólico. Algo totalmente desnecessário, a meu ver.

Enfim, “Coração Ardente” é uma leitura sem novidades. São personagens conhecidos fazendo mais do mesmo. O final é tão ridiculamente obvio que você não sabe se ri ou chora de desgosto.
O livro também possui um sentimentalismo excessivo, a trama é extremamente focado no romance proibido entre Vampiro e Alquimista e todos os interlúdios românticos deles.Algo que não é típico da autora. Eu fiquei realmente chateada com o fato de ela ter carregado no romance aqui e nos ter dado tão pouco disso em Vampire Academy, com Dimitri e Rose.

Eu sou uma pessoa que não desiste fácil de uma serie, é um raro acontecer, e com certeza não vou fazer isso com Richelle. Primeiramente, pois eu acredito que as coisas podem melhor. E segundo, pois a volta dos meus personagens antigos reanimou o meu coração.
Vamo que vamo para Sombras Prateadas, com a esperança de melhoras e a certeza de que vou rever meus “camaradas”, parafraseando Rose Hathaway!

Sobre o autor:


Richelle Mead é uma leitora voraz, fascinada por mitologia e folclore. Autora reconhecida tanto pelo público como pela crítica na área da fantasia urbana para adultos.
Autora da série bestseller, Vampire Academy, com fãs pelo mundo todo, e que já ganhou honras da American Library Association.


3 comentários:

  1. Geeh!
    Acho que o fato da irmã ir ficar com ela para aprender o ofício, é uma novidade grande e que atrapalha, porque ela não poderá mais se encontrar com Adrian como antes com medo que os Alquimistas descubram seu relacionamento com ele e que ela tem amizade com os vampiros.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “É preciso já ser sábio para amar a sabedoria.” (Friedrich Schiller)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Geeh.
    Nunca li um livro da Richelle :( Inclusive, botei na lista Vampire Academy à pouco tempo. Eu sei que a série é ótima e já vou sonhando com os personagens.
    É tão ruim quando a gente não do livro. E concordo que as vezes o romance só atrapalha em alguns casos. Esse plot Alquimistas x Vampiros me lembra outras tantas séries que nem da aquela motivação pra ler.
    Aguardo a resenha do próximo pra saber se foi uma chance à série.
    Abc

    ResponderExcluir
  3. esse livro será minha próxima leitura da série quando comprá-lo é uma pena que não tem mais ação, mais adrenalina também estou esperando por ela. Mas pelo menos vai ter os personagens que adoro da Academia de Vampiros e a Sydney da uma mudada para melhor, isso me da uma animada em continuar a ler e o fato da irmã aparecer isso vai atrapalhar e muito, fiquei curiosa em saber como vai ser.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz