23 junho 2017

Resenha: O Bazar dos Sonhos Ruins - Stephen King


Edição: 1
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788556510303
Ano: 2017
Páginas: 527
Tradutor: Regiane Winarski


Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: "Mestre das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas. Temas eletrizantes interligam os contos; moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo... Muitos deles são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre suas mortes; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Em “Moralidade”, King narra a vida de um casal que vai se despedaçando quando os dois mergulham no que, a princípio, parece um vantajoso pacto com o Diabo.


Como a sinopse diz, O Bazar dos Sonhos Ruins é uma coletânea de vários contos de Stephen King. Alguns deles são inéditos aqui no Brasil e o melhor de tudo? Cada conto acompanha um comentário do autor sobre sua criação. Stephen King ganha o leitor já nas primeiras páginas, com uma Introdução rica em humor negro.
"Como muitos grandes escritores americanos (Philip Roth e Jonathan Franzen me vêm a mente), Carver não tinha muito senso de humor. Eu, por outro lado, vejo graça em quase tudo. O humor aqui é sombrio, mas, na minha opinião, esse é muitas vezes o melhor tipo. Porque, veja bem, quando se trata da morte, o que podemos fazer além de rir?"
Sou fã do homem, vocês sabem, então claro que amei demais conhecer mais esse livro. Infelizmente, alguns contos não funcionaram para mim, mas a maioria foi maravilhosa de ler e espero que esse seja o primeiro de muitas coletâneas que ainda quero ler do autor.

Stephen King abusa de sua criatividade e nos transporta para histórias hilárias, sangrentas, fantasiosas e algumas, até reais demais. Cada conto trás sua marca característica e nos deixa ávidos para continuar a leitura e descobrir o que mais se esconde nas páginas desse livro.
"A Bíblia diz que o diabo foi libertado para vagar pela terra, e que a mão de Deus não o seguurava. Não sei se aquele garotinho malvado era o diabo, mas sei que era um diabo."
Não falarei de cada conto separadamente pois são contos grandes e cada um é único. Mas confesso que tenho os meus queridinhos que me fizeram ficar um com um tantinho de medo! rsrsrsrsr
Milha 81 foi o primeiro que me deu calafrios, me lembrou demais Christine, o Carro Assassino misturado com It - A Coisa. Depois me deparei com A Duna que, sem dúvida, me enganou do início ao fim. Fato que o autor gosta de nos iludir neh? Esse conto é mais uma prova de sua perversidade amável! Garotinho Malvado me fez ter sonhos ruins mesmo... rsrsrsrs. Ur me fez desejar ter um Kindle rosa (apesar de eu não gostar da cor... rsrsrs). Obituários me dá calafrios até agora e Trovão de Verão me tirou lágrimas mesmo sendo sobre um futuro apocalipse.

O mestre do Terror/Horror mostra sua versatilidade nos 20 contos presentes neste livro. É possível observar diversas características do processo de criação, prato cheio pra quem é fã e adora imaginar como o escritor chegou a uma determinada ideia.
Os temas são diversificados para agradar a todos os públicos, aqui, vamos lidar com moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo, assassinatos, monstros imaginários e da vida real.
"Eu fui criado como metodista tradicional, tinha uma noção precisa de certo e errado, mas a verdade estava clara: eu tinha me tornado um prostituto, só que vendia meu sangue e meu talento para a escrita em vez da bunda."
A maioria das histórias possui narrativa em terceira pessoa, outras em primeira pessoa, como é o caso de Blockade Billy, onde Granny nos narra os acontecimentos a partir de uma entrevista que King está lha fazendo. Também temos a narrativa de Indisposta onde Brad nos dá somente seu ponto de vista e nos faz imaginar que o amor é lindo mesmo, mas também pode ser doentio....

Apesar de toda essa promessa sombria, o que O Bazar dos Sonhos Ruins leva aos leitores fieis é mais grandiosidade e talento compactados em uma única obra. É um presente para aqueles que gostam de seus livros e sentem vontade de conhecer mais do autor. Este livro pode ser um livro de contos, mas nos diz muito mais sobre o autor do que qualquer outro livro dele.
"Já chega de papo. Talvez você queira comprar algum dos meus produtos agora, não? Tudo o que você vê foi feito à mão, e apesar de eu amar cada um deles, fico feliz em vendê-los, porque os fiz especialmente para você. Fique à vontade para examinar todos, mas tome cuidado, por favor.
Os melhores tem dentes."
Do mais, só tenho a indicar mesmo! A edição da Suma de Letras está perfeita! Essa capa é maravilhosa e condiz com tudo o que o livro contém.


Avaliação: 



Sobre o autor: 



Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar.
De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).


3 comentários:

  1. Ana!
    É um daqueles livros para nos deliciarmos da escrita fenomenal de King.
    Vinte contos tenebrosos, carregados de terror e medo que nos envolvem do início ao final.
    E claro que quero ler.
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu tive contato com o King esse ano e tive uma bela surpresa.
    Adorei a escrita dele e conseguiu me surpreender.
    Já tinha visto esse livro de contos e aumentou ainda mais minha vontade de ler.
    Adoro contos e adoro o humor negro que o autor coloca. Ironia e sarcasmos é uma coisa essencial de ter numa obra.
    Eu tenho vontade de conhecer mais do autor e quero muito ler o livro *-*

    ResponderExcluir
  3. Adoro or livros do autor então fiquei interessada nesse, como todo livro de conto é difícil todos os contos agradarem, esses que foram citados parecem que assustam mesmo. Sempre me pergunto como os autores tiveram ideia para o livro e gostei de saber que nesse ele fala como surgiu.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz