05 agosto 2017

Resenha: Sete Minutos Depois da Meia-Noite - Patrick Ness


Edição: 2
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581638249
Ano: 2016
Páginas: 160
Tradutor: Paulo Polzonoff Junior

Sinopse: Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida.
A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido.
O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a verdade.
Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los.


Um pesadelo. Todas as noites o pesadelo assombra Conor. Mas em uma noite algo diferente acontece.
Uma voz o chama. Ao procurar, o que vê é impressionante, o que antes era um teixo agora se transforma em um imenso monstro ...
“Sob o olhar de Conor, os galhos mais altos da arvore se reuniam formando um rosto enorme e horrível, com boca e nariz e até mesmo olhos que o espiavam, cintilantes. Outros galhos se entrelaçavam, sempre crepitando, sempre gemendo, até formarem dois enormes braços e uma segunda perna ao lado do tronco.”
Conor é um garoto de 13 anos que sofre ao ver a mãe doente, tendo que se submeter a tratamentos agressivos, ficando cada vez mais fraca. Na escola as pessoas agem como se Conor não existisse por não saberem como agir diante de seu sofrimento, fazendo com que Conor se sinta invisível. Conor ainda tem que suportar Harry que o agride todos os dias na escola.

Com sua mãe passando mais tempo no hospital, sua avó vem para ajudar, mas ele não aceita a presença dela, muito menos que poderá ter que morar com ela, pois seu pai tem outra família e uma casa pequena, como ele diz para Conor.
Conor passa a esperar o monstro que, a cada noite vem contar uma história, e Conor as escuta mesmo discordando e as achando sem sentido. Ao final Conor terá que contar uma história - a sua história, a sua verdade.
“–E, quando eu terminar de contar as três histórias – continuou o monstro, como se Conor não tivesse dito nada -, você me contara a quarta.
Conor se contorceu na mão do monstro.”
Este foi um livro que eu comprei pela capa, adorei desde que vi. Já tinha assistido ao filme duas vezes e, com o livro me emocionei o dobro, é claro. A história é linda, apesar de todo o sofrimento de Conor, pois mostra o amor imenso que ele tem pela mãe. Cada história contada pelo monstro traz uma lição diferente que cada pessoa pode interpretar de seu jeito. É uma história simples, a
leitura é bem rápida com apenas 157 páginas, e apesar da simplicidade, é uma lição de vida realmente. Com um monstro que não vem pra assustar e sim para curar. Um monstro que vem para contar histórias que contém a verdade mesmo que a verdade seja muito cruel, uma verdade que muitas vezes evitamos, seja para não magoar alguém ou para não magoar a nós mesmos. 
A narrativa é em terceira pessoa e a diagramação é simples mas bem feita, possui letras em tamanho confortável para a leitura. 
Recomendo a leitura, e espero que cada leitor se emocione, assim como eu.

Confira o trailer do filme abaixo:











Avaliação:



Sobre o autor: 






Patrick Ness, um romancista premiado, escreveu para a rádio da Inglaterra 4 e Sunday Telegraph e é um crítico literário do The Guardian. Ele tem escrito muitos livros, incluindo a trilogia Chaos Walking, The Crash of Hennington e Topics About Which I Know Nothing. Nascido na Virgínia, ele vive atualmente em Londres.




Um comentário:

  1. Bel!
    Ai que história, hein? Acredito que todos nos identificamos. Mainha não tem câncer, mas tem Alzheimer que vai consumindo-a aos poucos e é tão doloroso, me coloquei no lugar dele também.
    Desejo um mês repleto de realizações e um ótimo final de semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz