03 março 2016

Resenha: Um Beijo Inesquecível - Julia Quinn

Edição: 1
Editora: Arqueiro
Autor: Julia Quinn
Serie: Os Bridgertons - Livro 7
Titulo Original: It's in his Kiss
ISBN: 9788580414851
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutor: Claudia Costa Guimarães

Sinopse:
Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.
"Um Beijo Inesquecivel" é o penultimo livro da serie Os Bridgertons, precidido por "O Duque e Eu", "O Visconde que Me Amava", "Um Perfeito Cavalheiro", "Os Segredos de Colin Bridgerton", "Para Sir Phillip, com amor" e "O Conde Enfeitiçado". Para ler as respectivas resenhas, é só clicar nos nomes.

Resenha:


Hyacinth é a mais nova das irmãs Bridgertons, a ultima solteira e que agora está completando 22 anos de idade. Um idade perigosa para quem ainda não é casada e nem comprometida, onde já quase pode ser tachada de solteirona pela sociedade.

Apesar de vir de uma família nobre e de boa reputação, Hyacinth é exigente demais com seus pretendentes e está decidida a só se casar por amor, ou pelo menos, por amizade. Só que com o passar dos anos e das varias temporadas, o numero de pretendentes tem caído de forma vertiginosa, chegando ao ponto de na ultima não ter recebido nenhuma proposta. O motivo? nenhum rapaz é capaz de acompanha-la, seja na inteligencia ou na disposição. Mas, principalmente pelo fato de quem a maioria das pessoas não consegue lidar com a franqueza e a irreverencia de Hyacinth Bridgerton.

A única pessoal com quem Hyacinth realmente mantem uma amizade é com Lady Dandury, uma senhora ranzinza , temida e evitada pela maioria das pessoas. As más línguas até mesmo comparam Hyacinth com Lady Danbury, comentando que uma é a copia mais jovem da outra.

Mas certo dia, no concerto anual dos Smythe-Smiths, que é uma tortura para os ouvidos de todos os convidados, Hyacinth tem uma surpresa, ela é apresentada ao neto de Lady D., o libertino Gareth St. Clair.
E para surpresa da garota, Gareth não se intimida com sua língua afiada e sua sagacidade. Na verdade, pela primeira vez na vida, é Hyacinth quem se sente intimidada na presença de alguém, seja ele homem ou mulher. Mas o que mais a intimida é a beleza de Gareth, sua risada zombeteira e o brilho no olhar, sem contar no fato de que ele, assim como ela, não se importa com as regras e convenções impostas pela sociedade Londrina.
“E Gareth St. Clair não era o tipo de homem com o qual se deveria gracejar. Estava ciente de que brincava com fogo, mas de alguma forma não conseguia parar. Sentia como se cada frase que deixava os lábios dele fosse um desafio e ela precisasse fazer uso de toda a inteligência só para manter o mesmo ritmo. Se aquilo era uma competição, queria ganhar. E esse seria o seu erro fatal.”
Assim como Hyacinth, Gareth também fica impressionado com a garota e a forma como ela destoa de todas as moças falsamente recatadas e que só estão a caça de um marido rico. E Gareth agora é um desses pobres rapazes que são encurralados pelas mães que buscam um bom casamento para as filhas, já que seu irmão mais velho faleceu a pouco e agora é ele quem vai herdar o título da família St. Clair.
Só que Gareth e o pai não tem uma boa convivência. Na verdade, eles se detestam. E o motivo é um segredo de família guardado a sete chaves, principalmente agora que o jovem herdeiro St. Clair é quem vai receber o título.
Mas os caminhos de Gareth e Hyancith não deveriam se cruzar, a não ser pelo fato de ambos serem próximos de Lady.D, mas St.Clair recebe de sua cunhada o diário de sua avó paterna, escrito em Italiano e curioso por descobrir mais sobre sua origem, Gareth leva o diário para Lady D., que infelizmente não é capaz de traduzir. Mas,felizmente para Gareth,  Hyacinth esta por lá e ela sim conhece a língua.
A partir de então, os dois desenvolvem uma amizade inusitada e uma proximidade preocupante. Ainda mais quando Hyacinth descobre no diário pistas sobre um tesouro escondido pelo mãe de Gareth dentro da mansão St. Clair.
"Gareth não conteve o sorriso. Jamais conhecera alguém como Hyacinth Bridgerton. Era vagamente divertida, vagamente irritante, mas não se podia deixar de admirar o quanto era espirituosa."
Então gente, todo mundo que acompanha o blog sabe que eu tenho uma preferência pelo Bridgerton mais velho, o Anthony , e que amo de paixão o livro “O visconde que me Amava”, que é o melhor, em disparada. Mas, “Um beijo Inesquecivel” foi tão bom, mas tão bom, que eu fiquei meio dividia e um pouco menos convicta de qual é o meu preferido.

A trama toda é desenvolvida de uma forma gostosa, com uma atmosfera de aventura e sensualidade que envolve o leitor do inicio ao fim. Sem contar, é claro, que temos essa bagagem emocional do protagonista, que é desenvolvida pela autora com maestria.Hyacinth e Gareth protagonizam uma historia engraçada, comovente, sensual e intensa.
Neste livro Julia Quinn nos brinda com diálogos engraçadíssimos e personagens bem construídos e espirituosos, com personalidade forte e marcante. Tudo isso envolto em uma aura de aventura e romance que deixam o leitor fixado na trama até a ultima pagina.
O casal de protagonistas é muito parecido em personalidade, mas ao mesmo tempo vivem em mundos totalmente diferentes. Gareth é sombrio, vive em um mundo de amargura e solidão, órfão de mãe e ignorado pelo pai,  apesar de camuflar esse sentimento com ironia e sorrisos. Já Hyacinth tem tudo, uma família bem estruturada e rica, e é claro, cercada de  amor, cuidado e compreensão. Mas ao mesmo tempo em que vive neste mundo aparentemente perfeito, Hyacinth sente falta de ser mais,de um objetivo e encontra isso em Gareth, assim como ele encontra nela, o amor e leveza que ele sempre quis. Então, estejam certos, estamos lidando com um anti-herói e uma anti-mocinha! Preparem-se!

Mas,ao mesmo tempo em que me diverti horrores lendo, foi impossível abstrair completamente o fato de que este é o penúltimo livro da serie e que logo vou precisar me despedir da irreverente família Bridgerton. Este gostinho amargo me acompanhou por toda a leitura, e por mais idiota e sem sentido que possa parecer, eu fiquei protelando a leitura para adiar o inevitável: o fim!

O livro é narrado em terceira pessoa, divido sobre o ponto de vista de ambos os protagonistas, nos permitindo uma visão detalhada de ambos.

Sobre a diagramação, não tenho muito o que falar, segue o padrão dos outros livros da serie e a qualidade de todos os livros da editora Arqueiro, com simplicidade, mas de ótima qualidade.
Já a capa é um assunto a parte, e repercutiu bastante nas redes sociais quando a editora a apresentou pouco tempo antes do lançamento, pelo fato de que a modelo da foto de capa é ruiva e desde o primeiro livro a autora ressaltou que a família Bridgerton é conhecida pelos seus volumosos cabelos CASTANHOS, Então, esta destoou de todas as outras capas e não é nem um pouco condizente com a trama.
O que eu achei? Sinceramente, em um mercado editorial onde editoras publicam series com os livros de tamanhos diferente, acho que não podemos reclamar de um detalhe, que em comparação, é quase insignificante. Mas eu também entendo a indignação dos fãs, e faço parte do time que queria uma Hyacinth morena. Mas vamos ser positivos (ou talvez seja negativos?), a coisa poderia ser bem pior.

Enfim, nem preciso dizer que super recomendo a leitura de todos os livros da series, que por sinal não precisam ser lidos em sequencia, o leitor pode começar por qual preferir sem medo de se perder no enredo. A historia começa e termina no mesmo volume, apesar de os protagonistas anteriores serem mencionados.
“Mas ela sabia, ate mesmo enquanto se empenhava em mentir para si mesma, que fora mais que um beijo. Muito, muito mais.”
Sobre o autor:

Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. 
É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

4 comentários:

  1. Olá, Geeh.
    Apesar de previsível, não é muito difícil imaginar o final do livro, eu fiquei curioso com a obra. O motivo é simples: uma protagonista que foge dos padrões e coloca os pretendentes para correr. haha Adoro protagonistas assim. Acredito que eu vá adorar a Hyacinth.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Geeh!
    Gosto demais dos romances de época e fico triste porque ainda não consegui ler nenhum livro dessa série que parece bem interessante.
    “Um amor, uma carreira, uma revolução: outras tantas coisas que se começam sem saber como acabarão.” (Jean-Paul Sartre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de março com 4 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Por incrível que pareça ainda não li nenhum livro da autor, mas pretendo essa série esta sendo muito bem comentada. Adoro personagens como a Hyacinth que falam o que pensam e não vivem de aparências. E parece que além de envolvente é divertido.

    ResponderExcluir
  4. Oi Geeh!
    Morro de vontade de ler essa série! A família Bridgerton parece ser muito legal. Esse livro em si me chamou a atenção por conta desse segredo, desse tesouro escondido, daum ar de aventura a trama e eu gosto disso. To tentando até agora descobrir como pronuncia o nome da personagem, me ajuda hahaha
    beijo

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz